​Aluno surdo do município de Vila Velha é aprovado no IFES

Aluno Emanoel Monteiro vai cursar Eletrotécnica no Instituto Federal do Espírito Santo (IFES)

Em 11/01/2022 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Assessoria/PMVV

Nessa parte da história, há uma personagem essencial: Clarice Alves, professora de Educação Bilíngue da UMEF Prof. Nice de Paula, que o inscreveu no processo seletivo.

Emanoel Monteiro da Fonseca nasceu surdo, apesar de só ter descoberto quando já tinha 5 anos. Foi nessa mesma idade que ele ingressou na rede municipal de ensino de Vila Velha, onde continuou estudando até os 17 anos.

Agora ele começa uma nova trajetória: vai cursar Eletrotécnica no Instituto Federal do Espírito Santo (IFES). Nessa parte da história, há uma personagem essencial: Clarice Alves, professora de Educação Bilíngue da UMEF Prof. Nice de Paula, que o inscreveu no processo seletivo:

"Sou professora do Emanoel desde o 6º ano. Ele sempre foi muito interessado e comecei a despertar nele o desejo de estudar no IFES. Ele é meu xodó, todos esses anos eu o preparei para conseguir passar”, contou Clarice.

Ela o acompanhou no momento da matrícula e foi um momento marcante, segundo a mesma:

“Foi muito gratificante acompanhá-lo se matricular, é a realização de um objetivo a longo prazo. Minha expectativa é que ele continue se destacando e chegue ao doutorado”, disse.

Mas não foi só agora que a escola passou a ter um papel importante na vida do Emanoel. Na verdade, desde o início, foi o principal ponto de apoio dele e da família, como contou a mãe, Shirley Monteiro:

“Somos de uma família humilde e na época, quando foi diagnosticada a surdez, não sabíamos quase nada sobre. A escola nos acolheu como família e todo o suporte que a gente precisava”, compartilhou.

A escola foi peça fundamental para tudo, segundo as próprias palavras de Shirley. Inclusive, foi na UMEF Nice de Paula que Emanoel aprendeu a Língua Brasileira de Sinais. E a família também:

“O curso de Libras é caro e não teríamos dinheiro para pagar. Sorte nossa que a escola fornece libras e a gente pode aprender de graça. Eles sempre dão essa oportunidade para as famílias e esse aprendizado, pra gente, não tem preço!”, ressaltou.

Emanoel até chegou a usar o aparelho auditivo, mas não se adaptou. Ele prefere mesmo se comunicar em Libras, que é como se sente confortável. Agora, para essa nova fase, a expectativa é enorme.

“Tudo é novo e diferente, ainda estamos processando essa novidade. O IFES foi uma decisão dele, ele que quis. Isso torna tudo ainda mais especial”, compartilhou orgulhosa a mãe. (Semcom/PMVV)

Leia também:

Governo do ES oficializa criação de duas novas escolas técnicas
Vitória convoca intérpretes de Libras para atuar na Educação
Vila Velha vai entregar Kit de Material Escolar para alunos
Vitória abre matrículas para o ensino fundamental e a EJA
Governo do ES lança edital do Programa Nossa Bolsa 2022
Prova do Enem será reaplicado nos dias 9 e 16 de janeiro
> Prefeitura da Serra vai abrir matrícula para alunos da EJA
> ​51 mil alunos começam a receber Bolsa de Estudos de R$ 150
Instituições federais não podem exigir vacina contra covid-19
Educação repassa R$ 11,4 milhões para o ano letivo de 2022

TAGS: 
EDUCAÇÃO | IFES | VILA VELHA | SURDO | ESTUDANTE