Arrecadação de tributos federais cresce 4,13% em maio

Considerando a inflação, cifra é 4,13% superior ao montante arrecadado em maio de 2021

Em 23/06/2022 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: © Marcelo Camargo/Agência Brasil

Em valores nominais, ou seja, sem levar em conta a variação inflacionária, o resultado é o melhor desde pelo menos 2007, segundo as informações que o Fisco divulgou na manhã de hoje (23).

A Receita Federal arrecadou R$ 165,3 bilhões em tributos em maio de 2022. Considerando a inflação acumulada ao longo do último ano, a cifra é 4,13% superior ao montante arrecadado no mesmo mês de 2021.

Em valores nominais, ou seja, sem levar em conta a variação inflacionária, o resultado é o melhor desde pelo menos 2007, segundo as informações que o Fisco divulgou na manhã de hoje (23).

Com o resultado, apenas os cofres públicos federais já receberam R$ 908,55 bilhões em tributos federais pagos pelos contribuintes entre janeiro e maio deste ano. Valor 9,75% superior ao dos cinco primeiros meses de 2021.

“Esta arrecadação está vinculada ao volume da produção de petróleo e também à cotação do barril, uma commodity internacional. E também sofre interferência da variação cambial. Todos esses crescimentos têm que ser analisados com base nestas considerações”, explicou o chefe do Centro de Estudos Tributários e Aduaneiros da Receita Federal, o auditor fiscal Claudemir Malaquias.

A análise das fontes de receitas revela que a arrecadação mensal com Rendiment o acréscimo de 59,5% na arrecadação do IRRF à alta da taxa básica de juros, a Selic, o que influenciou os recolhimentos dos rendimentos dos fundos e títulos de renda fixa.

Os principais indicadores traçam uma melhora da atividade econômica entre janeiro e maio deste ano, o que também ajuda a explicar a alta da arrecadação (veja na tabela abaixo). Um dos destaque foi o crescimento de 27,2% da arrecadação obtida a partir dos valores em dólares das importações, quando comparados os meses de maio de 2021 e de 2022.


Foto: Receita Federal

Outro destaque, segundo Malaquias, foi o crescimento de 19,4% da arrecadação do Imposto de Renda entre janeiro e maio deste ano, quando comparado ao mesmo período do ano passado.


Foto: Receita Federal

“Tivemos o crescimento da arrecadação do Imposto de Renda retido na fonte sob ganhos de capitais de quase 50% [48,9%] e o desempenho do Simples Nacional, cuja arrecadação apresentou, no período, um crescimento de 30,8%, já descontada a inflação”. (Por Alex Rodrigues/Agência Brasil)

Leia também:

Total de empresas ativas cresce 3,7% no Brasil, diz o IBGE
Turismo brasileiro cresce 47,7% em abril, diz FecomercioSP
Aneel aprovou reajuste das bandeiras tarifárias em até 64%
Previsão do Ipea é de estabilidade para setor agropecuário
PIB teve um crescimento de 0,3% em abril, aponta Ibre-FGV
Procel economiza 22,7 bilhões de quilowatts-hora em 2021
IBGE inicia ação do Censo pesquisando entorno de domicílios
Petrobras anuncia renúncia do presidente José Mauro Coelho
Gasolina fica 5,18% mais cara a partir de hoje nas refinarias
Ibovespa cai 2,83% puxada por forte queda da Petrobras

TAGS:
INFLAÇÃO | TRIBUTOS FEDERAIS | ARRECADAÇÃO | IMPOSTOS | RECEITA FEDERAL