Brasil registrou 401.639 empregos formais em fevereiro

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados hoje (30).

Em 30/03/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Reinaldo Canato/VEJA

O resultado positivo do mês passado decorreu de 1,694 milhão de admissões e 1,292 milhão de demissões, segundo o Caged.

Após a criação recorde de 258.141 vagas em janeiro (dado revisado nesta data), o mercado de trabalho formal brasileiro voltou a surpreender em fevereiro, com um saldo positivo de 401.639 carteiras assinadas, de acordo com os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados hoje (30), pelo Ministério da Economia.

O resultado do mês passado decorreu de 1,694 milhão de admissões e 1,292 milhão de demissões. Esse foi o melhor resultado para o mês na série histórica, iniciada em 1992. Até então o melhor resultado para fevereiro havia sido em 2011, quando foram criadas 280.799 mil vagas no segundo mês do ano.

Em fevereiro de 2020, houve a abertura de 225.648 postos com carteira assinada.

Novo sistema

Desde janeiro do ano passado, o uso do Sistema do Caged foi substituído pelo Sistema de Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas (eSocial) para parte das empresas, o que traz algumas diferenças na comparação com resultados dos anos anteriores.

A maior parte do mercado financeiro já esperava um avanço no emprego no mês, mas o resultado veio bem acima do teto das estimativas de analistas consultados pelo Projeções Broadcast. As projeções eram de abertura líquida de 150.000 vagas a 283.936 vagas em fevereiro, com mediana positiva de 260.000 postos de trabalho.

No acumulado dos dois primeiros meses de 2021, o saldo do Caged é positivo em 659.780 vagas. No mesmo período do ano passado, a criação líquida de vagas foi de 277.517 postos formais.

"Setor de serviços abre 173.547 vagas e puxa criação de empregos"

A abertura líquida de 401.639 vagas de trabalho com carteira assinada em fevereiro no Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) foi puxada pelo desempenho do setor de serviços no mês, com a criação de 173.547 postos formais, seguido pela indústria geral, que abriu 93.621 vagas.

Já o comércio abriu 68.051 vagas, enquanto houve um saldo de 43.469 contratações na construção civil em fevereiro. Na agropecuária, foram criadas 23.055 vagas no mês.

No segundo mês do ano, 24 Unidades da Federação registraram resultado positivo e apenas três tiveram saldo negativo.

O melhor resultado foi registrado em São Paulo com a abertura de 128.505 postos de trabalho. Já o pior desempenho foi o do Amazonas, que registrou o fechamento de apenas 625 vagas em fevereiro.

O salário médio de admissão nos empregos com carteira assinada passou de R$ 1.774,57, em janeiro, para R$ 1.727,04 em fevereiro. (Estadão - *Com informações do Ministério da Economia)

TAGS:
EMPREGO   |   PIB   |   ECONOMIA   |  PEQUENOS   |   PRODUÇÃO   |   INDUSTRIA   |   PRÉ-SAL   |   SELIC