Ceará vence por 2 x 0 aumenta pressão sobre o Flamengo

A equipe de Rogério Ceni perdeu para o Ceará, neste domingo, por 2 a 0, no Maracanã.

Em 10/01/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Alexandre Loureiro / Estadão Conteúdo

O Rubro-Negro perdeu para o Ceará, neste domingo, por 2 a 0, no Maracanã, pela 29ª rodada da competição. É a segunda derrota seguida do Flamengo.

O Flamengo, mais uma vez, decepcionou e vai se complicando, a cada rodada, na briga pelo título do Campeonato Brasileiro. O Rubro-Negro perdeu para o Ceará, neste domingo, por 2 a 0, no Maracanã, pela 29ª rodada da competição. É a segunda derrota seguida do Fla no torneio, que já havia perdido o clássico para o Fluminense. A pressão aumenta.

No primeiro tempo, o Flamengo sofreu ofensivamente. Criou apenas uma chance clara de gol e ainda mostrou deficiências defensivas. A etapa final se transformou em ataque contra defesa. O Rubro-Negro pressionou, teve chances, mas não marcou e ainda levou o segundo.

O Flamengo continua na quarta colocação, com 49 pontos, ainda a sete pontos do líder São Paulo, que perdeu para o Santos. O Ceará agora tem 39 pontos e está na nona colocação.

Rogério Ceni surpreendeu e fez três mudanças no Flamengo. O técnico colocou César, Gustavo Henrique e Pedro, sacando Hugo Souza, Natan e Gabigol. Não funcionou. O Fla exibiu os mesmos problemas defensivos e ofensivos.

O Flamengo volta a campo contra o Goiás, em Goiânia, dia 18, segunda-feira, pela 30ª rodada do Campeonato Brasileiro. Já o Ceará recebe o Bragantino, domingo, no Castelão.

O jogo

O Flamengo exibiu dificuldades e deficiências de cara. Ofensivamente, sofria para criar. E defensivamente oferecia muitos espaços e pouco pressionava. O Ceará, então, deu o bote. Com liberdade, Léo Chú foi lançado pela esquerda e cruzou. A bola passou por quase toda a área e chegou a Vina, que emendou de primeira: 1 a 0, aos 12 minutos.

O clube carioca demorou 26 minutos para criar uma chance de gol. Arrascaeta tabelou com Pedro, invadiu a área e chutou, mas parou em Richard, que fez excelente defesa e impediu o empate.

O Ceará recuou a marcação. O Flamengo não apresentava ideias para superar a marcação do rival e buscava cruzamentos, em vão. O Vozão ainda teve mais uma chance, com Vina, que chutou para fora.

Uma chance

A rigor, o Flamengo criou apenas uma chance de gol, em um primeiro tempo que decepcionou taticamente e tecnicamente. Éverton Ribeiro e Bruno Henrique pouco produziram. Arrascaeta concentrou os poucos momentos de lucidez do clube carioca.

Rogério Ceni voltou com Diego para o segundo tempo. O técnico tirou Gustavo Henrique. Desta forma, mais uma vez, Willian Arão foi deslocado para a zaga. O jogo se transformou em ataque contra a defesa. Pedro teve a chance de empatar, mas chutou por cima. Depois, em cabeçada, Richard voou para salvar.

Aos 24 minutos, Ceni finalmente lançou Gabigol. Ele sacou Éverton Ribeiro, novamente mal em campo. Pedro teve outra chance clara, após receber de Filipe Luís, mas isolou de novo. Não era a tarde do centroavante.

Ceni fez mais uma mudança. Colocou Vitinho no lugar de Isla. A pressão era rubro-negra, mas nada de gol. Renê e Rodrigo Muniz entraram. Saíram Filipe Luís e Pedro. O Ceará ainda ampliou. Kelvyn, que entrara no lugar de Cléber, recebeu na direita e chutou no canto: 2 a 0.

Ficha técnica

FLAMENGO 0X2 CEARÁ

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Data: Domingo, 10/01/2021

Horário: 16h (de Brasília)

Árbitro: Paulo Roberto Alves Júnior (PR)

Assistentes: Bruno Boschilia (PR) e Sidmar dos Santos Meurer (PR)

VAR: Daniel Nobre Bins (RS)

Cartões amarelos: Gustavo Henrique e Gerson (Flamengo) e Richard (Ceará)

Cartões vermelhos: Guto Ferreira (Ceará)

Gols:

Ceará: Vina, aos 12′ do 1ºT, e Kelvyn, aos 44′ do 2ºT

FLAMENGO

César; Isla, Rodrigo Caio, Gustavo Henrique (Diego) e Filipe Luís (Renê); Willian Arão, Gerson, Éverton Ribeiro (Gabigol) e Arrascaeta; Bruno Henrique e Pedro (Rodrigo Muniz). Técnico: Rogério Ceni.

CEARÁ

Richard; Eduardo, Tiago (Klaus), Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Fabinho (William Oliveira), Lima (Charles), Fernando Sobral e Vina; Léo Chú (Saulo) e Cléber (Kelvyn); Técnico: Guto Ferreira.  (Gazeta Esportiva)