Congresso reserva R$19 bi para orçamento secreto em 2023

Os Parlamentares aprovaram LDO sem a imposição do pagamento de emendas do relator.

Em 13/07/2022 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: DW / Deutsche Welle

A prática do orçamento secreto é uma estratégia do governo de Jair Bolsonaro para comprar o apoio de deputados e senadores governistas, utilizando como moeda de troca o Orçamento Federal.

Parlamentares aprovaram LDO sem a imposição do pagamento de emendas do relator, mas já articulam a volta do mecanismo, utilizado pelo governo Bolsonaro para garantir o apoio junto à bancada governista. O Congresso derrubou, nesta terça-feira (12/7), em votação do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2023, o dispositivo que previa a obrigatoriedade do pagamento das emendas de relator, o chamado "orçamento secreto". O item foi retirado do texto da proposta pelo próprio relator, o senador Marcos do Val (Podemos-ES).

No entanto, os parlamentares aprovaram a LDO com um trecho que impõe a reserva de R$ 19 bilhões do caixa do Executivo para o pagamento dessas verbas. Nos bastidores, parlamentares ainda articula a volta da regra que obriga o pagamento dessas verbas. A prática do orçamento secreto é uma estratégia do governo de Jair Bolsonaro para comprar o apoio de deputados e senadores governistas, utilizando como moeda de troca o Orçamento Federal.

O texto aprovado, na Câmara, por 324 votos a favor e 110. No Senado, o placar foi de 46 a 23. Os partidos Novo, PCdoB, Novo, PSB, Psol e Rede orientaram as bancadas contra o projeto. A proposta também prevê um déficit nas contas públicas de até R$ 65,91 bilhões e salário-mínimo de R$ 1.294.

A emenda do relator, diferentemente das individuais, de bancada ou comissões, não tem identificação clara do parlamentar beneficiado. O dinheiro pode ser enviado pelo deputado ou senador para os municípios onde estão suas bases eleitorais.

Desde 2019, o montante destinado ao orçamento secreto era imposto pelos parlamentares durante a votação da Lei Orçamentária Anual (LOA), com o remanejamento de outras áreas para essa finalidade. Apesar do dispositivo que prevê esse recurso, o valor precisa ser aprovado na votação da LOA.

Pacheco articulação mudança após ser exposto em entrevista

A derrubada do dispositivo que previa a imposição do pagamento das emendas do orçamento secreto ocorreu após o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), adiar a votação do projeto de segunda-feira (11/7) para essa terça-feira (12/7), o que impediu a obstrução da sessão por partidos do Centrão.

Em uma entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo na última semana, o relator da LDO, Marcos do Val, admitiu que recebeu, em 2021, R$ 50 milhões como moeda de troca por causa do apoio dado por ele à eleição de Pacheco. Segundo o Estadão, por causa disso, o presidente do Senado pressionou o Do Val pela retirada do trecho que impunha o pagamento das emendas.

O deputado federal Marcel Van Hatten (Novo-RS), agradeceu, na Câmara, Do Val pelas declarações ao jornal.

"[A entrevista] foi certamente uma das grandes responsáveis para que caísse a impositividade. Precisamos agradecer ao senador Do Val pelo sincericídio cometido. Demonstrou a prática que tem acontecido aqui e que é voz corrente no Congresso Nacional, de troca de emendas de relator por apoio a projeto A, projeto B, candidato A, candidato B2", disse Van Hatten.

No entanto, o presidente da Câmara, Arthur Lira (Progressistas-AL), estaria articulando nos bastidores uma forma de manter a impositividade do pagamento do orçamento secreto. De acordo com o Estadão, Lira quer garantir a obrigatoriedade por meio de uma resolução do Congresso, cuja votação seria feita em outra sessão. (Deutsche Welle)

Leia também:

Congresso Nacional aprovou hoje o texto-base da LDO 2023
Congresso derruba vetos de Bolsonaro a lei Aldir Blanc
Pacheco decide instalar CPI do MEC com início após eleições
Senado pode votar hoje PEC sobre preço dos combustíveis
Câmara dos Deputados aprova Plano Nacional do Esporte
Governo usou sobras do Bolsa Família em despesas militares
ES sedia oficina sobre Gestão e Políticas de Segurança
Governador anuncia novos investimentos em Ecoporanga
Apiacá vai receber novos investimentos do Governo do ES
Governo ES anuncia investimentos em Bom Jesus do Norte

TAGS:
PARLAMENTARES | CONGRESSO | PAGAMENTO | ORÇAMENTO SECRETO | RESERVA