Consumo de açúcar na 1ª infância é fator de risco para cáries

Estudo mostrou que 8 em cada 10 crianças ingeriam alimentos açucarados e tinham cáries.

Em 19/11/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: © Marcelo Camargo/Agência Brasil

A recomendação é não ingerir açúcar até os dois anos de idade e depois dessa faixa etária ingerir a menor quantidade possível.

Crianças de zero a seis anos que consomem açúcar com alta frequência estão muito suscetíveis ao aparecimento de cáries. Estudo desenvolvido na Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), no Rio Grande do Sul, em um ambulatório odontológico mostrou que oito em cada dez crianças atendidas ingeriam alimentos açucarados e tinham cáries. De 86 casos analisados, a doença bucal foi encontrada em 86,2% da amostra.

Segundo os pesquisadores, o consumo de açúcar se dava já a partir dos nove meses, inclusive na mamadeira.

“A gente percebia que a maioria nos procurava quando já tinha alguma dor ou quando tinha algum processo para tratar. Na sua maioria, não se procura atendimento de forma preventiva, como orientação, para saber como está a saúde bucal”, aponta Fernanda Ortiz, coautora do trabalho.

Ela explica que, embora sejam dentes de leite, a falta de cuidados nos anos iniciais são também para o futuro.

“Prejudica a erupção e a formação do dente permanente, que é o dente de adulto. Ele não vai nascer de maneira imediata, apenas quando for mais velho. Prejudica toda a formação e o nascimento desse dente permanente”, aponta a pesquisadora, que é odontopediatra.

A cárie tem relação direta com o açúcar.

“É uma doença comportamental, é um processo complexo que existe com a formação da placa bacteriana. Essas bactérias se alimentam principalmente do açúcar, produzem ácidos e esses ácidos entre aspas corroem o dente e começam o processo de destruição dentário, que é a cárie”, explica Fernanda. Ela destaca que esta é uma das doenças mais prevalentes na infância.

Nesse sentido, tanto a escovação quanto a diminuição ou mesmo a não ingestão de açúcar são os principais meios de prevenção.

“A gente comenta que é muito mais fácil conseguir controlar a nutrição da criança e a da família, do que pedir pra essa criança ou a família escovar o dente toda vez que ingerir algum alimento açucarado”, orienta a odontopediatra.

Ela lembra que a recomendação é não ingerir açúcar até os dois anos de idade e depois dessa faixa etária ingerir a menor quantidade possível. E, com o nascimento do primeiro dente, fazer a escovação com creme dental com flúor.

De acordo com divulgação da Agência Bori, o trabalho foi publicado nesta sexta-feira (19) na Revista Gaúcha de Odontologia. (Por Camila Maciel/Agência Brasil)

Leia também:

Campanha Mega Vacinação contra covid-19 começa amanhã
Cariacica capacita profissionais para diagnosticar hanseníase
Brasil já aplicou mais de 300 milhões de vacinas contra covid
Vila Velha abre agendamento para 3ª dose do público geral
Brasil recebe 1 milhão de vacina Janssen contra a covid-19
Covid: Vitória abre vagas para dose de reforço em adultos
Covid: Dia D de Vacinação sem agendamento em Vila Velha
Ceasa-ES vai receber ações voltadas à saúde da população
Dia D de vacinação será realizado neste sábado (20) em Viana
Não vacinados são maioria entre os internados por covid-19

TAGS:
AÇÚCAR | CRIANÇAS | CÁRIE | UFSM | ESTUDO