Fabrício Gandini debate licenças para duplicação da BR-101

Um dos entraves segundo a Concessionária ECO-101 é a liberação das licenças ambientais.

Em 30/04/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Tati Beling

De acordo com Gandini, é necessário entender os impactos da duplicação e conhecer melhor a realidade de cada trecho da BR-101 e saber quais os impedimentos.

A duplicação da BR-101 é sempre apontada como uma emergencial diligência para a diminuição do alto índice de acidentes no trecho da BR-101 que corta o Espírito Santo. Mas um dos empecilhos apontados pela Concessionária ECO-101 é a liberação das licenças ambientais pendentes para essa duplicação.

O tema debatido e cobrado “Atualização das licenças ambientais para as obras de duplicação previstas para o contrato do trecho concedido da BA-698 (acesso a Mucuri) até a Divisa do ES/RJ” e pela Frente Parlamentar de Fiscalização da Concessão da BR-101 nesta quinta-feira (29). 

O colegiado presidido pelo deputado Fabrício Gandini (Cidadania) convidou os analistas do Ibama, Antônio Celso Borges, Marcus Bruno Malaquias e José Brandão. O diretor-superintendente da concessionária Eco101, Carlos Eduardo Xisto, os deputados Alexandre Xambinho e Carlos Von para falar sobre os impasses para as duplicações.

Impactos

De acordo com Gandini, é necessário entender os impactos da duplicação e conhecer melhor a realidade de cada trecho da BR-101 e saber quais os impedimentos.

“Queremos saber porquê as licenças não estão sendo aprovadas e as providências que a ECO101 está tomando para solucionar. Fica parecendo que eles acabam sendo premiados por não precisar fazer as obras”, destacou.

O analista da Coordenação de Licenciamento Ambiental de Transportes (Cotra), Antônio Celso Borges disse que a ECO101 não apresenta alternativas.

“É uma situação confortável para eles que não apresentam alternativas de desvio da Reserva Ambiental de Sooretama de propósito para empurrar isso com a barriga”, afirmou Borges.

O objetivo da comissão é fiscalizar o contrato de licença para administração, manutenção e recuperação da BR-101 firmado em 2013 entre a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) e a concessionária Eco101, com duração de 25 anos. A BR-101 percorre o Espírito Santo de norte a sul, em um total de 461,1 quilômetros. (Com informações da AsImpGandini)

TAGS
CIDADANIA | EDUCAÇÃO | SAÚDE  | EMPREGO  | ESPORTES | CIDADE | ECONOMIA