Governo quer o INSS como único gestor de aposentadorias

Governo quer o INSS como único gestor do Regime Próprio de Previdência Social da União.

Em 11/11/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: © Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Em nota, a Secretaria-Geral da Presidência explicou que o objetivo da medida é simplificar, desburocratizar e reduzir custos operacionais na gestão de pagamento de aposentadorias e pensões dos servidores públicos federais.

O governo federal encaminhou ao Congresso Nacional um projeto de lei complementar que coloca o Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) como o órgão único de gestão do Regime Próprio de Previdência Social (RPPS) da União. O despacho foi publicado hoje (11) no Diário Oficial da União.   

Pelo projeto, toda a gestão de aposentadoria dos servidores e dos membros do Poder Executivo, que inclui administração direta, autarquias e fundações públicas, do Poder Judiciário, do Poder Legislativo, do Tribunal de Contas da União, do Ministério Público Federal e da Defensoria Pública da União será unificada em apenas uma entidade.

Redução de custos

Em nota, a Secretaria-Geral da Presidência explicou que o objetivo da medida é simplificar, desburocratizar e reduzir custos operacionais na gestão de pagamento de aposentadorias e pensões dos servidores públicos federais. A estimativa do governo é de uma economia de R$ 27 milhões por ano com a gestão unificada.

“A escolha pelo INSS tem papel estratégico na decisão, uma vez que o instituto possui grande experiência na gestão previdenciária do Regime Geral de Previdência Social (RGPS) e executa a aposentadoria dos seus próprios servidores - o que corresponde a aproximadamente 28% da Administração Indireta do Poder Executivo Federal”, explicou a Secretaria-Geral.

Acrescentou que o projeto prevê que a nova atribuição do INSS será processada de forma totalmente segregada das atribuições típicas do órgão. Nesse sentido, as atividades orçamentárias, financeiras, concessão e manutenção dos benefícios dos servidores públicos federais serão desenvolvidas por equipe de especialistas exclusivos do próprio corpo funcional.

Além disso, a proposta cria colegiados, com participação de outros Poderes e de beneficiários, para supervisionar a gestão do RPPS pelo INSS.

O projeto atende a dispositivo da reforma da Previdência (Emenda Constitucional nº 103/2019), que estabelece o prazo até novembro de 2021 para a União implantar o órgão ou entidade previdenciária única dos seus servidores. (Por Andreia Verdélio/Agência Brasil)

Leia também:

Índice Nacional da Construção Civil sobe 1,01% em outubro
Produção Industrial recua em nove dos 15 locais pesquisados
Transportes têm maior impacto na alta da inflação em outubro
Bento Albuquerque diz que preço do petróleo vai subir mais
Banco do Brasil tem lucro de R$ 5,1 bilhões no 3º trimestre
Vendas de veículos novos caem em 24,5%, anuncia a Anfavea
Mercado financeiro eleva a projeção da inflação para 9,33%
Setor de eventos vê sinais positivos de retomada das atividades
IBGE: PIB cresceu 1,2% em 2019, chegando a R$ 7,389 trilhões
CNC: endividamento das famílias cresce menos em outubro

TAGS:
INSS | GOVERNO FEDERAL | APOSENTADORIA | UNIÃO | CUSTOS