Incontinência urinária pode piorar no inverno, diz urologista

Para quem sofre de incontinência urinária, as épocas de frio podem gerar mais incômodo.

Em 01/07/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Reprodução/Banco de Imagens/Revista Suplementação

No Brasil, mais de 10 milhões de pessoas apresentam algum tipo de incontinência e muitos não procuram ajuda médica por achar que o problema é normal ou natural da idade.

Com a chegada das temperaturas mais baixas, algumas mudanças podem ocorrer em nosso organismo. Uma delas é o aumento da frequência urinária e eventual perda de urina. Para pessoas que sofrem de incontinência urinária, as épocas de frio podem gerar mais incômodo e constrangimento, já que ocorre um aumento na produção de urina e, assim, pode ocorrer mais perda de urina e também pode haver a necessidade de urinar  com mais frequência.

A incontinência urinária atinge cerca de 5% da população brasileira (homens e mulheres) - segundo a Sociedade Brasileira de Urologia - e é conhecida mundialmente como “câncer social”, por causar, na maioria dos casos, constrangimento e isolamento, podendo levar à depressão. No Brasil, mais de 10 milhões de pessoas apresentam algum tipo de incontinência e muitos não procuram ajuda médica por achar que o problema é normal ou natural da idade ou por acreditar que não há tratamentos efetivos.

De acordo com o urologista Gustavo Wanderley, especialista de Recife e membro titular da Sociedade Brasileira de Urologia, a incontinência urinária pode piorar no inverno pois, além do nosso corpo transpirar menos nesta época do ano, para compensar as baixas temperaturas, nosso metabolismo acelera o funcionamento dos rins que precisam eliminar mais água do corpo. Ainda de acordo com o especialista, outros fatores podem influenciar para as idas constantes ao banheiro durante as épocas frias.

“Outro hábito que aumenta os sintomas da incontinência no inverno está relacionado ao consumo de bebidas quentes, elas colaboram significativamente para o aumento da frequência urinária”. 

Para tentar amenizar o desconforto durante esta época do ano, o especialista traz algumas dicas práticas que podem colaborar com a rotina, tais como:

Evite bebidas quentes

Uma boa dica é evitar o consumo de bebidas quentes como chás, chocolates quentes e café, antes de se deitar. Isso irá reduzir as idas ao banheiro durante a noite. Se as idas excessivas ao banheiro durante o dia estão atrapalhando a sua rotina, corte as bebidas quentes durante suas atividades, como trabalho ou exercício físico.

Não é comum 

A incontinência urinária não é uma consequência normal da idade, apesar do envelhecimento trazer alterações estruturais na bexiga e no trato urinário que podem favorecer o aparecimento da condição. O tipo mais comum é a Incontinência Urinária de Esforço (I.U.E.), caracterizada pela perda de urina ao rir, tossir ou em qualquer movimento ou esforço. A I.U.E. atinge exclusivamente mulheres e pode ocorrer por fraqueza do esfíncter e do assoalho pélvico, além de múltiplos partos ou queda do hormônio feminino após a menopausa. Já nos homens, as principais causas de perda urinária são a deficiência esfincteriana após a prostatectomia radical (perda de urina após cirurgia para tratamento do câncer de próstata) e a bexiga hiperativa (contrações involuntárias de forte intensidade da bexiga que levam a escapes de urina).

Busque solução definitiva

Engana-se quem acredita que a condição não tem cura. Nas mulheres, nos casos mais simples, é possível fazer fisioterapia para ativar a musculatura, entre outros tratamentos. Nos casos moderados a graves, há um procedimento cirúrgico para aplicação de slings, malhas que sustentam a uretra. 

Já para tratar a incontinência em homens, existem tratamentos eficazes que permitem a volta do funcionamento do esfíncter.

“Nos pacientes mais complexos, como homens que perdem o funcionamento do esfíncter após a prostatectomia radical, é possível substituir o esfíncter com uma cirurgia, utilizando um esfíncter artificial, tecnologia disponível e acessível no Brasil”.

Para casos mais leves, ainda existem os slings masculinos, que também trazem excelentes resultados a longo prazo, finaliza o especialista. (Por Gabriela Tunes- Noar)

Leia também:

Campanha Julho Amarelo conscientiza sobre hepatites virais
Julho Verde alerta para prevenção ao câncer de cabeça e pescoço
Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
Covid: Vitória é referência em vacinação e atrai público externo
Prefeitura de Vitória realiza operação tapa-buracos na cidade
Orla mais segura: Calçadão de Camburi recebe manutenção
Sinalização horizontal oferece segurança no trânsito de Vitória
Defesa Civil de Vitória abre curso on-line para voluntários
Vitória participa da elaboração de ações de educação ambiental
Superendividamento: Procon de Vitória esclarece sobre a lei
Prefeitura de Serra relança projeto empreendedor Costurarte
Prefeitura de Serra realiza obras que beneficiam setor pesqueiro
Prefeitura e ONGs retiram pedras e liberam Trilha de Furnas
Serra inicia reformas no mercado de peixes de Nova Almeida
Serra: Pedidos de poda de árvores feitos pelo site da prefeitura
Procon de Serra dá dicas de compras do Dia dos Namorados
Prefeitura de Serra amplia sua frota com 16 novos carros
Prefeitura de Serra reabre Arena Jacaraípe nesta segunda (07)
Serra: Reuniões de planejamento da cidade iniciam hoje (07)
Serra: Cidade da Grande Vitória que mais reduziu homicídios
Cursos são parte da rotina dos técnicos da Defesa Civil de Serra
Prefeitura de Serra reabre agenda para cadastro no CadÚnico
Vidigal assina ordens de serviços para obras em Jacaraipe
Serra apresenta seu sistema de aprovação de projetos à CBIC
Mata Atlântica: Parque da Fonte Grande tem novos mirantes
Nova lei proíbe nomeação de condenados por crimes sexuais

TAGS:
ANOREXIA | VACINA | PROCON | PARQUE | SEVIÇOS | OBRAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADE