Índice Nacional da Construção Civil sobe 1,01% em outubro

Os dados do Sinapi para outubro foram divulgados hoje (10), no Rio de Janeiro, pelo IBGE.

Em 10/11/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: © José Paulo Lacerda/CNI/Direitos reservados

A maior variação mensal em outubro (2,57%) foi registrada na Região Norte, com alta significativa na parcela dos materiais, em todos os estados, e o acordo coletivo celebrado no Pará.

O Índice Nacional da Construção Civil subiu 1,01% em outubro, 0,13 ponto percentual acima da taxa de setembro, quando houve variação de 0,88%. No acumulado de 12 meses, alcançou 21,22%, pouco abaixo dos 22,06% registrados nos 12 meses imediatamente anteriores. Já de janeiro a outubro acumulou 16,79%.

Em outubro de 2020, o índice havia sido 1,71%. Os dados do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil (Sinapi) para outubro foram divulgados hoje (10), no Rio de Janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O custo nacional da construção, por metro quadrado, saiu de R$ 1.475,96 em setembro para R$ 1.490,88 em outubro. Neste valor, R$ 888,45 são relacionados aos materiais e R$ 602,43 à mão de obra. Segundo o IBGE, a parcela dos materiais subiu 1,27%, o que representa alta de 0,06 ponto percentual em relação a setembro (1,21%).

Na comparação com o índice de outubro de 2020, quando ficou em 3,17%, houve queda de 1,9 ponto percentual. Em relação ao índice de setembro, apresentou elevação de 0,24 ponto percentual, que refletiu a parcela da mão de obra, com taxa de 0,64% e de um acordo coletivo de trabalho realizado no mês no Pará.

Acumulados

Comparada a outubro de 2020 (0,04%), a alta é de 0,6 ponto percentual. Os acumulados do ano, são 25,08% nos materiais e 6,42% na mão de obra. No período de 12 meses, foram 33,39% nos materiais e 6,88% na mão de obra.

A maior variação mensal em outubro (2,57%) foi registrada na Região Norte, com alta significativa na parcela dos materiais, em todos os estados, e o acordo coletivo celebrado no Pará. Nas outras regiões, o Nordeste ficou em 0,67%, Sudeste 1,06%, Sul 0,45% e o Centro-Oeste 1,22%.

Os custos regionais, por metro quadrado atingiram R$ 1.475,26 na Norte; R$ 1.395,40 no Nordeste; R$ 1.551,51 no Sudeste; R$ 1.572,52 no Sul e R$ 1.470,62 no Centro-Oeste.

O Pará foi o estado que teve a maior variação mensal. Chegou a 4,61%, com a alta na parcela dos materiais e o dissídio coletivo.

O que é o Sinapi

Criado em 1969, a finalidade do Sistema Nacional de Pesquisa de Custos e Índices da Construção Civil é produzir informações de custos e índices de forma sistematizada e com abrangência nacional para a elaboração e avaliação de orçamentos, como também acompanhamento de custos. (Por Cristina Índio do Brasil/Agência Brasil)

Leia também:

Produção Industrial recua em nove dos 15 locais pesquisados
Transportes têm maior impacto na alta da inflação em outubro
Bento Albuquerque diz que preço do petróleo vai subir mais
Banco do Brasil tem lucro de R$ 5,1 bilhões no 3º trimestre
Vendas de veículos novos caem em 24,5%, anuncia a Anfavea
Mercado financeiro eleva a projeção da inflação para 9,33%
Setor de eventos vê sinais positivos de retomada das atividades
IBGE: PIB cresceu 1,2% em 2019, chegando a R$ 7,389 trilhões
CNC: endividamento das famílias cresce menos em outubro
CNI indica piora no cenário do setor industrial em setembro

TAGS:
IBGE | CONSTRUÇÃO CIVIL | CUSTOS | SINAPI | ACUMULADOS