Leucemia linfocítica aguda pediátrica cada vez mais curável

O índice de crianças curadas em países da Europa e nos Estados Unidos chega a 85%/90%.

Em 19/07/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Reprodução/Revista ABRALE

A leucemia linfocítica aguda pediátrica (LLA pediátrica) é a leucemia que mais afeta os pequenos, principalmente na faixa entre 2 e 5 anos.

Da triste realidade dos anos 1960, quando não havia chance de cura, para o cenário atual as perspectivas para pacientes com leucemia linfocítica aguda pediátrica (LLA pediátrica) mudaram radicalmente. O índice de crianças curadas em países da Europa e nos Estados Unidos chega a 85%/90%. Mesmo no Brasil, onde algumas novidades ainda não estão amplamente disponíveis, o percentual de cura passou de cerca de 20% na década de 1980 para aproximadamente 70% nos dias atuais.

A LLA é a leucemia que mais afeta os pequenos, principalmente na faixa entre 2 e 5 anos. Não se sabe ao certo o que desencadeia a doença, mas alguns fatores de risco foram elencados ao longo dos anos, como exposição da mãe à radiação, o fato de a criança ter passado por radioterapia ou quimioterapia anteriormente, alguns quadros virais, síndrome de Down e ter gêmeo idêntico que desenvolveu a enfermidade.

Avanços 

Do diagnóstico ao tratamento e à abordagem multidisciplinar, há avanços nas mais diversas frentes.

De acordo com a médica Maria Lúcia de Martino Lee, hematologista da BP – A Beneficência Portuguesa de São Paulo, os diferentes subtipos de leucemia linfocítica pediátrica podem hoje ser identificados com precisão e de forma precoce por meio de modernos testes moleculares, informação fundamental para definir a melhor estratégia de tratamento em cada caso.

“Os protocolos de aplicação da poliquimioterapia – combinação de diferentes medicamentos, de acordo com a classificação da doença – também foram aprimorados para uma abordagem mais assertiva. Além disso, evoluíram os recursos para prevenir complicações como as infecções virais ou fúngicas, que podem ser fatais para essas crianças”, afirma a médica.

A recidiva (nova ocorrência) da LLA também tem hoje melhor controle graças às análises mais sensíveis que detectam a chamada doença residual mínima (tecidos com pequenas remanescências de células de câncer), permitindo o tratamento para atacar esses focos.

Segundo a médica Maria Lúcia de Martino Lee, outra bem-vinda novidade é abordagem multidisciplinar.

“Além de pediatra e oncologista, é importante contar com nutricionista, fisioterapeuta, psicólogo, pedagogo e outros profissionais que contribuem para reduzir os efeitos colaterais dos medicamentos e acompanham o desenvolvimento da criança, inclusive após a cura, avaliando qualquer eventual reflexo no crescimento, na cognição, nos ossos, etc.”, explica Maria Lúcia.

Adotado apenas no caso de pacientes que não responderam aos tratamentos, o transplante de medula óssea também teve refinamento nas técnicas e avanços que atualmente permitem a realização do procedimento com doador parcialmente compatível como mãe e pai.

“Anteriormente, era necessária compatibilidade total, algo bastante difícil de conseguir. Técnicas modernas reduziram os riscos e os efeitos colaterais do transplante de medula óssea e os avanços nos exames diagnósticos ajudam na indicação do procedimento no momento adequado para obtenção do melhor resultado. Quanto mais previamente for realizado o processo, maior a chance de sucesso”, explica a médica da BP, que figura entre os cinco principais centros transplantadores de medula óssea do País e o principal da capital paulista.

Entre as inovações mais recentes, está o tratamento com terapia-alvo, tipo de medicamento que ataca diretamente as células leucêmicas, oferecendo bons resultados e com menos efeitos colaterais. Um tipo incurável de LLA até então, causado pela anormalidade cromossômica Philadelphia, hoje é tratado com terapia-alvo. A imunoterapia com anticorpos monoclonais, que estimula o próprio sistema imunológico a atacar as células cancerígenas, é outra frente promissora.

Ampliar o acesso a esses novos recursos é o desafio do Brasil para os próximos anos. É o caminho para fazer com que também aqui o índice de cura da LLA pediátrica chegue aos 90%. (Por Daniela Garrafoni - CDN)

Leia também:

Julho Verde conscientiza sobre câncer de cabeça e pescoço
Férias com as crianças exigem cuidados contra contaminação
Prefeitura de Serra oferece fisioterapia pulmonar pós-covid
ES vai ofertar 50 mil cirurgias eletivas neste segundo semestre
Prefeitura de Serra abre agenda para vacinar contra covid e gripe
Prefeitura de Serra abre agenda para 2.430 vagas de vacinas
Prefeitura de Serra abre agenda para 6.790 pessoas contra covid
Prefeitura de Serra abre agenda para 1ª e 2ª doses contra covid
19 mil capixabas não retornaram para 2ª dose da AstraZeneca
Incontinência urinária pode piorar no inverno, diz urologista
Campanha Julho Amarelo conscientiza sobre hepatites virais
Julho Verde alerta para prevenção ao câncer de cabeça e pescoço
Anorexia, um transtorno alimentar que pode levar à morte
Covid: Vitória é referência em vacinação e atrai público externo
Prefeitura de Vitória realiza operação tapa-buracos na cidade
Orla mais segura: Calçadão de Camburi recebe manutenção
Sinalização horizontal oferece segurança no trânsito de Vitória
Defesa Civil de Vitória abre curso on-line para voluntários
Vitória participa da elaboração de ações de educação ambiental
Superendividamento: Procon de Vitória esclarece sobre a lei
Prefeitura de Serra relança projeto empreendedor Costurarte
Prefeitura de Serra realiza obras que beneficiam setor pesqueiro
Prefeitura e ONGs retiram pedras e liberam Trilha de Furnas
Serra inicia reformas no mercado de peixes de Nova Almeida
Serra: Pedidos de poda de árvores feitos pelo site da prefeitura
Procon de Serra dá dicas de compras do Dia dos Namorados
Prefeitura de Serra amplia sua frota com 16 novos carros
Prefeitura de Serra reabre Arena Jacaraípe nesta segunda (07)
Serra: Reuniões de planejamento da cidade iniciam hoje (07)
Serra: Cidade da Grande Vitória que mais reduziu homicídios
Cursos são parte da rotina dos técnicos da Defesa Civil de Serra
Prefeitura de Serra reabre agenda para cadastro no CadÚnico
Vidigal assina ordens de serviços para obras em Jacaraipe
Serra apresenta seu sistema de aprovação de projetos à CBIC
Mata Atlântica: Parque da Fonte Grande tem novos mirantes
Nova lei proíbe nomeação de condenados por crimes sexuais

TAGS:
FÉRIAS | ANOREXIA | VACINA | PROCON | PARQUE | SEVIÇOS | OBRAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADE