Max Verstappen vence o Grande Prêmio de Paul Ricard de F1

Verstappen aliou melhor estratégia, além de grande desempenho e superou Lewis Hamilton.

Em 20/06/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

Que campeonato espetacular! Max Verstappen e Lewis Hamilton travaram um duelo de estratégia e performance em um surpreendentemente excelente GP da França. Vitória do holandês, que dispara na liderança do campeonato.

Que corrida! Que campeonato! Que grande duelo a Fórmula 1 entrega com Max Verstappen e Lewis Hamilton. O GP da França deste domingo (20), que muitos esperavam ser uma disputa aborrecida, se converteu em outro incrível capítulo desta temporada 2021. E Verstappen, que aliou melhor estratégia e também um grande desempenho, superou um valente e aguerrido Hamilton para conquistar a vitória em Paul Ricard nesta tarde. Sergio Pérez, com a segunda Red Bull, superou Valtteri Bottas e se colocou no pódio em terceiro lugar.

Com céu nublado e ameaça de chuva, mas com pista seca, a Fórmula 1 partiu para a sétima etapa da sua temporada com um claro confronto entre os protagonistas do ano, Max Verstappen e Lewis Hamilton, pole e segundo colocado no grid, respectivamente.

Verstappen até largou bem e manteve a dianteira, mas errou na tomada da curva 1 e permitiu a Hamilton assumir a liderança. Valtteri Bottas se segurou em terceiro, à frente de Sergio Pérez, Carlos Sainz e Pierre Gasly. Fernando Alonso chegou a pular de nono para sétimo, mas foi deixado para trás por Charles Leclerc.

Max Verstappen escapa na curva 1 e permite ultrapassagem de Hamilton (Foto: Reprodução)

Ainda assim, estava à frente da McLaren de Lando Norris. Mais atrás, Sebastian Vettel, que largou com pneus duros, fazia grande ultrapassagem em cima da Alpine de Esteban Ocon.

Mais atrás, Mick Schumacher e Nikita Mazepin protagonizaram nova disputa por posição no fim do grid. O alemão não conseguiu se segurar em P15, sua colocação de largada, e caiu para a rabeira depois de um confronto que foi até para fora do traçado.

Hamilton tinha 1s3 de frente para Verstappen nas primeiras voltas da corrida. Bottas partia para cima da Red Bull #33, enquanto 'Checo' não conseguia acompanhar o ritmo do finlandês e o perdia de vista.

Nikita Mazepin e Mick Schumacher protagonizam nova disputa na pista (Foto: F1/Twitter)

Na sequência da corrida, Hamilton reclamava do esfarelamento dos seus pneus dianteiros. Na zona intermediária, a Alpine de Alonso sofria para segurar Ricciardo e Norris, que fizeram a ultrapassagem em cima do bicampeão na volta 12. Nicholas Latifi aparecia à frente de George Russell, enquanto Mazepin continuava com vantagem sobre Schumacher. E Vettel, em seguida, passou Alonso e assumiu a 11ª posição.

Os pneus médios mostravam mesmo maior desgaste. Leclerc foi o primeiro piloto a fazer seu pit-stop, com a Ferrari a calçar compostos duros para o segundo stint do monegasco, que caiu para 19º depois da parada.

Antes do seu pit-stop, Bottas apertou o ritmo e fez a volta mais rápida, cenário que o ajudou a encostar em Verstappen na luta pelo segundo lugar. Enquanto isso, Pérez seguia mais atrás. Valtteri fez sua parada para troca de pneus na volta 18. No giro seguinte, foi a vez de Verstappen ir para os boxes colocar compostos duros para a sequência da corrida. O holandês conseguiu voltar logo à frente de Bottas.

Verstappen consegue o 'undercut' e retoma a dianteira sobre Hamilton após pit-stop (Foto: F1/Twitter)

Hamilton foi aos boxes na volta 19. Com parada de 2s2, a Mercedes calçou pneus duros para o segundo stint da corrida. Mas Verstappen conseguiu imprimir forte na sua volta para a pista, deu o 'undercut' em cima do rival, tirou quase 3s de vantagem e fez a ultrapassagem. Pérez assumiu a liderança de forma provisória antes do seu pit-stop.

Verstappen liderava o pelotão, mas era seguido muito de perto por Hamilton e Bottas. O heptacampeão já acionava a asa móvel para se aproximar do holandês. O grande ponto era que a Red Bull tinha melhor ritmo nas retas, enquanto as Mercedes eram mais rápidas nos trechos mais lentos.

Pérez finalmente foi aos boxes e fez seu pit-stop na volta 25. A ordem da corrida, portanto, voltava à realidade com Verstappen na frente, seguido muito de perto por Hamilton e Bottas. 'Checo' voltou em quarto. A McLaren também fez excelente trabalho de pit-stop com Ricciardo. O australiano ganhou as posições de Carlos Sainz e Gasly. Mas Norris, que parou bem depois, não se deu tão bem com a estratégia e voltou atrás da AlphaTauri.

Max lutava muito para segurar o ritmo das Mercedes e era claro com a equipe: "Não podemos manter isso até o fim da corrida, isso é certo". A preocupação era sobre o quanto os pneus poderiam suportar uma sequência tão forte de voltas.

A corrida era surpreendentemente muito boa. Na frente, Verstappen conseguia abrir vantagem perante Hamilton, que já não tinha mais como abrir a asa e lutar pela vitória. Na zona intermediária, Vettel e Lance Stroll, que largaram com pneus duros, estavam em quinto e sexto, respectivamente. Ricciardo era o sétimo, seguido por Norris, que deixava para trás a Ferrari de Sainz e a AlphaTauri de Gasly.

E não teve jeito mesmo. A Red Bull chamou Verstappen para uma segunda parada na volta 33 e calçou pneus médios para as 20 voltas finais. Hamilton assumiu a liderança, seguido por Bottas e Pérez, com Max caindo para quarto, mas muito perto do mexicano.

Pneus de Hamilton no limite na reta final do GP da França (Foto: Reprodução)

O GP da França então se desenhou como um grande duelo estratégico. De um lado, Hamilton tinha de lutar para se segurar na pista e manter um desempenho aceitável. De outro, Verstappen voava para tirar a vantagem do heptacampeão. Para isso, contou com a ajuda de Pérez, que abriu espaço para deixá-lo passar Entre Lewis e Max, Bottas poderia desempenhar grande papel para auxiliar o colega na luta pela vitória.

Com 13 voltas para o fim, Verstappen tinha 7s2 de diferença para Hamilton, enquanto Pérez estava 11s atrás do heptacampeão. Números que caíram drasticamente nos giros seguintes.

Tensão de Toto Wolff nos boxes da Mercedes na França (Foto: F1/Twitter)

Na abertura da volta 44, Verstappen já tinha diferença baixa o bastante para abrir o DRS e tentar passar Bottas. O finlandês até tentou jogar duro, mas Max conseguiu a ultrapassagem e tomou a segunda posição. A diferença para Hamilton era de 5s com nove voltas para o fim.

Um detalhe para não passar batido: os líderes, a começar por Hamilton, deram uma volta na Ferrari de Leclerc, que fazia corrida pífia na França. Já Bottas dava chilique no rádio: "Por que ninguém me escuta quando disse que iria para uma porra de estratégia de duas paradas? Que caralho", disparou o finlandês, cada vez mais longe de seguir na Mercedes.

Com muita valentia, Hamilton revertia um cenário que parecia impossível e conseguia se manter à frente de Verstappen. A tensão era enorme nos boxes da Mercedes.

A quatro voltas do fim da corrida, Pérez aproveitou o melhor ritmo da Red Bull nas voltas finais, fez a ultrapassagem e assumiu a terceira posição. O mexicano garantia um bom resultado enquanto o mundo aguardava pela definição da batalha entre Hamilton e Verstappen.

O duelo se acirrou com duas voltas para a bandeirada, quando Verstappen reduziu para menos de 1s a diferença para Hamilton. Que grande batalha a Fórmula 1 proporcionou neste domingo! No meio da volta 52, a penúltima da corrida, o holandês fez a ultrapassagem e finalmente assumiu a liderança. E, de forma espetacular, partiu para a vitória em um excelente GP da França. 

Classificação do GP da França

1) Max Verstappen (Red Bull/Honda)
2) Lewis Hamilton (Mercedes)
3) Sergio Pérez (Red Bull/Honda)
4) Valtteri Bottas (Mercedes)
5) Lando Norris (McLaren/Mercedes)
6) Daniel Ricciardo (McLaren/Mercedes)
7) Pierre Gasly (AlphaTauri/Honda)
8) Fernando Alonso (Alpine/Renault)
9) Sebastian Vettel (Aston Martin/Mercedes)
10) Lance Stroll (Aston Martin/Mercedes)
11) Carlos Sainz Jr. (Ferrari)
12) George Russell (Williams/Mercedes)
13) Yuki Tsunoda (AlphaTauri/Honda)
14) Esteban Ocon (Alpine/Renault)
15) A.Giovinazzi (Alfa Romeo/Ferrari)
16) Charles Leclerc (Ferrari)
17) Kimi Räikkönen (Alfa Romeo/Ferrari)
18) Nicholas Latifi (Williams/Mercedes)
19) Mick Schumacher (Haas/Ferrari)
20) Nikita Mazepin (Haas/Ferrari)

Classificação do Campeonato 2021

1) Max Verstappen, 131 pts
2) Lewis Hamilton, 119
3) Sergio Pérez, 84
4) Lando Norris, 76
5) Valtteri Bottas, 59
6) Charles Leclerc, 52
7) Carlos Sainz Jr., 42
8) Pierre Gasly, 37
9) Daniel Ricciardo, 34
10) Sebastian Vettel, 30

(Por Fernando Silva - Grande Prêmio e Gabriel Gavinelli - F1 Mania)

Leia também:

GP de São Paulo de F1 esgota primeiro lote de ingressos
Messi brilha e Argentina vence o Uruguai na Copa América
Eriksen tinha partido e o trouxemos de volta, afirma médico
> Inglaterra estreia com vitória sobre a Croácia na Eurocopa
Mexicano Sergio Pérez vence GP do Azerbaijão de Fórmula 1
Hamilton e Verstappen brincam sobre seus chefes de equipe
Charles Leclerc larga na pole no GP do Azerbaijão de F1
Grande Prêmio de Singapura de Fórmula 1 está cancelado
Com Tolói e Jorginho, Mancini convoca a Seleção Italiana
Libertadores: Flamengo, Atlético e São Paulo pegam argentinos
Conmebol sorteia oitavas da Libertadores nesta terça (1º)
Nem Colômbia nem Argentina: Copa América será no Brasil
Chelsea vence o City e conquista o bi da Liga dos Campeões
Chelsea e Manchester City fazem final da Liga dos Campeões
Daniel Alves é cortado da seleção e Tite convoca Emerson
Hansi Flick será o técnico da Seleção Alemã após a Eurocopa
Espanha é convocada para a Euro e Sergio Ramos fica fora
Verstappen vence GP de Mônaco de F1 e assume a liderança
Leclerc bate, mas coloca seu Ferrari na pole do GP de Mônaco
F1 tira Turquia do calendário e fará 2 corridas na Áustria
Eurocopa: Müller e Hummels voltam à seleção da Alemanha
River vence Santa Fe sem reservas e com goleiro improvisado

TAGS
EUROCOPA | LIBERTADORES | CONMEBOL | TÓQUIO 2020 | SUPERLIGA | UEFA | F1