Merkel faz sua última visita a Putin em plena crise afegã

Presidente russo, Vladimir Putin, receberá nesta sexta-feira (20), a chanceler Angela Merkel.

Em 20/08/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: AFP/Arquivos

Angela Merkel encerra a relação com a constatação do fracasso em um tema que lhe foi prioritário: a resolução do conflito entre Rússia e Ucrânia.

O presidente russo, Vladimir Putin, receberá pela última vez em Moscou, nesta sexta-feira (20), a chanceler alemã, Angela Merkel, que deixará o poder no outono, em um encontro que ocorre em meio à crise afegã e após 16 anos de relações ambivalentes.

Merkel e Putin, que falam o idioma um do outro, discutem desde 2005 – quando a chanceler chegou ao poder -, duramente ou com ironia, sobre muitos assuntos, da Ucrânia à Síria, passando pelos ciberataques atribuídos por Berlim a Moscou e pelo envenenamento do opositor Alexei Navalny, atendido em um hospital de Berlim.

O diálogo nunca se rompeu totalmente, porém, entre esses dois veteranos do cenário internacional, que se opõem em tudo.

Nesta 20ª viagem oficial à Rússia, Merkel encerra a relação com a constatação do fracasso em um tema que lhe foi prioritário: a resolução do conflito entre Rússia e Ucrânia, que se encontra em ponto morto.

No domingo, a chanceler alemã segue para Kiev, onde se encontrará com o presidente Volodymyr Zelensky. (AFP)

Leia também:

EUA aplicam vacinas de reforço contra covid-19 em setembro
Afeganistão: Aprovação de Biden cai com domínio do Talibã
Nova Zelândia teme por alta de casos de covid-19 no país
Nova Zelândia anuncia restrições de três dias contra covid-19
Biden defende retirada de tropas dos EUA do Afeganistão
Com saída dos EUA, China e Rússia dialogam com Talibã
Biden receberá líderes mundiais em cúpula sobre democracia
G20 quer que acordo de taxa global seja finalizado até outubro
G7 das Finanças começa com imposto mundial no radar
Recorde: PMI industrial do Reino Unido sobe a 65,6 em maio
PMI industrial da China sobe a 52 em maio, maior nível de 2021
PIB global deverá crescer a 5,8% em 2021, estima a OCDE
Investimento em infraestrutura para vencer o desemprego

TAGS:
ANGELA MERKEL | RÚSSIA | AFEGANISTÃO | ARMAS | JOE BIDEN | CLIMA | MEIO AMBIENTE | BRUMADINHO | NOVA ZELÂNDIA