Ministério da Economia mantém previsão do PIB em 1,5%

Para 2023, o governo federal manteve também a previsão do PIB e aumentou a da inflação

Em 19/05/2022 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: © Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Segundo o boletim, a melhora no desempenho do PIB brasileiro tem ocorrido em razão da retomada no setor de serviços e ampliação dos investimentos, o que, de acordo com o documento, tem refletido na recuperação do mercado de trabalho.

O governo federal alterou para cima a previsão da inflação deste ano. O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), que em março era estimado em 6,55% para o ano, agora teve a previsão elevada para 7,9%. A estimativa do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) subiu de 6,7% para 8,10%, e a do Índice Geral de Preços (IGP-DI), de 10,01% para 11,4%. A estimativa do Produto Interno Bruto (PIB) foi mantida em 1,5%. Os dados, divulgados hoje (19), são do Boletim Macro Fiscal da Secretaria de Política Econômica (SPE) do Ministério da Economia.

Para 2023, o governo federal manteve também a previsão do PIB e aumentou a da inflação. O PIB, segundo a estimativa, deverá fechar 2023 com alta de 2,5% (a mesma previsão do último boletim, divulgado em março). Já o IPCA deverá encerrar 2023 em 3,6% (a previsão de março era alta de 3,25%); o INPC, em 3,7% (3,5% era a estimativa em março); e o IGP-DI, em 4,57% (4,42%).

“A expectativa para a taxa de inflação [IPCA] aumentou de 6,55% para 7,90% em 2022 e de 3,25% para 3,60% em 2023. A partir de 2024, espera-se convergência da inflação [IPCA] para a meta de 3%. Em relação ao INPC, a projeção para 2022 elevou-se de 6,70% para 8,10%”, diz o texto do documento.

Segundo o boletim, a melhora no desempenho do PIB brasileiro tem ocorrido em razão da retomada no setor de serviços e ampliação dos investimentos, o que, de acordo com o documento, tem refletido na recuperação do mercado de trabalho. O texto destaca que o setor de serviços cresceu 1,8% no primeiro trimestre de 2022, atingindo o maior patamar desde maio de 2015.

“A estimativa de crescimento do PIB brasileiro para 2022 foi mantida em 1,5%. De 2023 em diante, as estimativas permaneceram em 2,5%. Desde março, em linha com as projeções da SPE, pode-se notar uma revisão altista das expectativas de mercado para a atividade econômica”, diz o texto. (Por Bruno Bocchini/Agência Brasil)

Leia também:

Safra de café em 2022 pode chegar a 53,4 milhões de sacas
Monitor do PIB aponta alta de 1,5% no 1º trimestre, diz FGV
MP muda a tabela do preço do frete rodoviário de carga
FGV: Inflação medida pelo IGP-10 recua para 0,10% em maio
Vendas no varejo cresceram 20,5% nos últimos em 12 meses
BC: Contas públicas ficam positivas em R$ 4,3 bi em março
Mais de R$ 1 milhão em negócios para MPEs do setor têxtil
Indústria deve qualificar 9,6 milhões de pessoas até 2025
Quase quatro em cada dez brasileiros estão inadimplentes
RF alerta para golpe na restituição do Imposto de Renda

TAGS:
PIB | INFLAÇÃO | MINISTÉRIO DA ECONOMIA | IPCA | INPC