Ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, pede demissão

No comunicado, o general do Exército não revelou o motivo da sua saída do ministério.

Em 29/03/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Reprodução/Diário da Manhã

O ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva, pediu demissão do cargo, informou nota oficial divulgada nesta segunda-feira (29).   

No comunicado, o general do Exército não revelou o motivo da saída, que não havia sido antecipada pelo presidente Jair Bolsonaro ou pelo próprio ministro.   

“Agradeço ao presidente da República, a quem dediquei total lealdade ao longo desses mais de dois anos, a oportunidade de ter servido ao país, como ministro de Estado da Defesa”, diz o texto.   

Anunciado durante a transição de governo, em 2018, quando era assessor do então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, Azevedo e Silva foi chefe do Estado-Maior do Exército, considerado um dos cargos de maior prestígio.   

Na nota, o político afirmou que durante seu mandato preservou as Forças Armadas como instituições de Estado e deixa o cargo com a certeza de “missão cumprida”.

“O meu reconhecimento e gratidão aos comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, e suas respectivas forças, que nunca mediram esforços para atender às necessidades e emergências da população brasileira”, finalizou.   

O pedido de demissão do general pegou Brasília de surpresa, no momento em que ocorrem tratativas para encontrar um substituto para o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, que também decidiu sair do governo.   

Com as demissões de Ernesto e Azevedo, o presidente perde dois importantes expoentes do governo.

Nota Oficial
Agradeço ao Presidente da República, a quem dediquei total lealdade ao longo desses mais de dois anos, a oportunidade de ter servido ao País, como Ministro de Estado da Defesa.
Nesse período, preservei as Forças Armadas como instituições de Estado.
O meu reconhecimento e gratidão aos Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, e suas respectivas forças, que nunca mediram esforços para atender às necessidades e emergências da população brasileira.  (ANSA)