Multilinguismo na infância expande horizontes cognitivos

Influências exteriores têm um impacto maior antes dos quatro anos de idade das crianças.

Em 20/10/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Divulgação/Camino School

O curículo trilíngue coloca alunos em contato com inglês, espanhol e português, por exemplo, de maneira ativa, reforçando competências socioemocionais e naturalizando o aprendizado dos idiomas  

Claseclass ou aula? A escolha da palavra mais “adequada” pode variar de acordo com um determinado país de origem ou pode acontecer em uma mesma escola, no decorrer de um dia letivo.

De acordo com uma pesquisa publicada no periódico The Journal of Neuroscience, influências exteriores têm um impacto maior antes dos quatro anos de idade, quando as ligações entre os neurônios se desenvolvem para processar novas palavras. Por isso, crianças têm mais facilidade para aprender um novo idioma. A primeira infância, em particular, é notável como uma época na qual as competências linguísticas de desenvolvem rapidamente.

Outros estudos apontam que os “pequenos” que estudam outros idiomas tornam-se adultos com mais habilidades cognitivas e maior competência na execução de tarefas. Alguns especialistas da neurociência apontam que essa dedicação a idiomas previne até mesmo mazelas como envelhecimento cerebral e demência.

Um relatório da Academia Americana de Ciências (PNAS) descobriu, em 2014, que crianças, quando ouvem outros idiomas desde cedo, formam representações dos sons e têm uma região do cérebro ativada – cenário não observado nos demais não-submetidos a essas experiências. Isso comprova que a organização cerebral é sensível a estímulos externos durante os primeiros anos da vida, essenciais para o desenvolvimento mental.


É dúvida dos pais se os filhos vão misturar os idiomas, e vão esquecer o português? Foto: Divulgação/Camino School

Além disso, esse estudo da PNAS reforça que o contato com uma outra língua, mesmo de maneira modesta ou por meio de brincadeiras, só oferece pontos positivos. Com o passar do tempo, a elasticidade do cérebro diminui, não inviabilizando necessariamente o aprendizado, mas tornando-o mais moroso.

A visão

Segundo Cinara Cochar, que trabalha no marketing da Camino Education, atualmente com dois filhos matriculados na Camino School – Raul, de 4 anos, e Paulo, de 6 –, são inúmeras as vantagens.

“O Raul já consegue identificar mudança quando ouve idiomas diferentes. Por exemplo, sempre ouvimos música no carro em nosso percurso casa/escola/casa, e ele já identificava quando as letras eram em português ou em inglês (a maioria que ouvimos). Um dia, coloquei Shakira para dar uma variada e ele na hora percebeu que era espanhol”, destaca.

Muitos pais têm aquelas dúvidas recorrentes: os filhos vão misturar os idiomas? Vão esquecer do português? Se tiverem que mudar de escola e pararem o estudo, esquecerão o que aprenderam? Cinara foi atrás de respostas embasadas em pesquisas.

“Vi que só há benefícios em termos cognitivos de um modo geral, não só para o aprendizado de línguas; eles desenvolvem mais facilidade para compreender coisas de modo geral. Linguisticamente, meus dois filhos falam quase tudo corretamente e, o que para mim é surpreendente, utilizam expressões de adulto e as empregam nas horas adequadas, como ‘isso é injusto!’ e ‘você não vai acreditar’. Fico impressionada”, complementa.

Cinara pontua que o inglês é mais familiar pois eles, anteriormente, estudavam em uma escola bilíngue. O espanhol passou a despertar interesse há pouco tempo e já se nota essa curiosidade. A mãe “flagrou” Raul pesquisando vídeos do Chaves no YouTube e, certa vez, ele chamou a joaninha de juanita sem perceber.

Educação multilíngue

A educação multilíngue tem ganhado cada vez mais espaço, em especial, nas grandes cidades brasileiras, onde mais pessoas tendem a conviver com diversidade étnica e cultural. Pesquisas revelam que crianças expostas a outros idiomas não apenas adquirem conhecimento, como saem na frente em demais capacidades cognitivas.  

“Do ponto de vista das competências socioemocionais, acreditamos que não apenas estudar, mas brincar, interagir com colegas e executar tarefas do cotidiano usando uma outra língua, como o inglês ou o espanhol, traz mais do que benefícios cognitivos. A criança exposta a esse contexto passa a ter uma visão mais ampla de cenários plurais e diversos, tendo uma maior propensão à inclusão e à empatia. É um ganho inegável”, afirma Leticia Lyle, cofundadora da Camino Education.

Desde as primeiras Grades, nossas turmas têm contato diário com inglês e espanhol, além da língua-mãe.

"Muitos aprendem os primeiros vocábulos simultaneamente nos três idiomas. Depois de anos de pesquisa e benchmarking, comprovamos que a plasticidade cerebral na infância é o melhor aliado no processo pedagógico multilíngue”, ressalta Lyle. (Por Juliana Miranda - AsImp)

Leia também:

Linhares realiza vistorias em barragens devido as fortes chuvas
PMVV recolhe média 30 toneladas/dia de resíduos das praias
Serra divulga rotas do carro fumacê e da limpeza nos bairros
Prefeitura de Vitória inaugura a Casa Rosa para mulheres
Prefeitura de Serra vai reformar e ampliar escola em Serramar
Circuito funcional em Cocal, Vila Velha a partir de segunda (18)
Meio Ambiente promove palestras em empresas de Linhares
Viana realiza mutirão para atender população após as chuvas
Prefeitura de Vila Velha já realizou 213 mutirões de limpeza
Prefeitura de Vitória realiza operação tapa-buraco após chuvas

TAGS:
MULTILINGUISMO | INFLUÊNCIAS | INFÃNCIA | HORIZONTES | COGNITIVOS