Papel de presidente não é chamar para confronto, diz Lula

Papel de um presidente da República é apresentar saídas para os problemas do país, diz Lula.

Em 06/09/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: REUTERS/Carla Carniel Foto: Reuters

Em referência ao presidente Jair Bolsonaro, líder petista comentou os atos convocados para o 7 de Setembro.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou nesta segunda-feira (6), em pronunciamento sobre a Independência do Brasil, que o papel de um presidente da República é apresentar saídas para os problemas enfrentados pelo país, e não incitar o povo ao confronto e a fazer ataques às instituições, em referência ao presidente Jair Bolsonaro.

Bolsonaro convocou apoiadores para atos em Brasília e São Paulo na terça-feira, por ocasião do feriado de 7 de Setembro, sob o mote da defesa das liberdades individuais. Na verdade, os protestos têm como principal objetivo fazer ataques e críticas a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

"Ao invés de anunciar soluções para o país, o que ele (Bolsonaro) faz neste dia é chamar as pessoas para a confrontação. É convocar atos contra os Poderes da República, contra a democracia, que ele nunca respeitou. Ao invés de somar, estimula a divisão, o ódio e a violência", disse Lula em mensagem transmitida na noite desta segunda-feira em redes sociais.

"Definitivamente, não é isso que o Brasil espera de um presidente", acrescentou o ex-presidente, ao defender que o chefe do Poder Executivo tem de saber "somar forças" e garantir um clima de confiança no presente e no futuro.

Para Lula, era de se esperar uma mensagem de solidariedade às famílias das vítimas da covid-19, a apresentação de um plano de vacinação mais amplo, uma ação de combate ao desemprego, e políticas para a redução da inflação e do custo de vida.

"Especialmente neste 7 de Setembro de um ano tão difícil, era de se esperar um gesto assim de quem está governando o país", disse o petista.

"Era de se esperar dele um plano para gerar empregos, que desse um alento aos trabalhadores, que viesse dizer que a Petrobras vai voltar a vender gasolina pelo custo real e não mais pelo preço em dólar... que apresentasse medidas para baixar o preço dos alimentos, para garantir um mínimo de dignidade a quem está na fila do osso", acrescentou o ex-presidente, que lidera as pesquisas de opinião para as eleições presidenciais de 2022. (Por Maria Carolina Marcello

Leia também:

Bolsonaro fala em editar MP contra passaporte de vacina
Senador pede convocação de ex-mulher de Bolsonaro à CPI 
Ministro Luiz Fux pede respeito institucional no 7 de setembro
Casagrande participa de reunião com presidente do Senado
PNI: Governadores cobram renovação de compra de vacinas
CPI pede ao STF a condução coercitiva de Marconny Faria
CPI vai ao STF contra decisão que anulou prisão de Roberto Dias
Voto de confiança foi dado, mas não foi retribuído, diz Abag
Lula chama Bolsonaro de tresloucado: "O País precisa de paz"
Caso envolvendo Flávio Bolsonaro pode prorrogar CPI da covid
Centrão já admite derrota de Bolsonaro no primeiro turno

TAGS: 
7 DE SETEMBRO | CPI | INVESTIGAÇÃO | MARCONY FARIA | CORRUPÇÃO | STF | IMPEACHMENT | INVESTIGAÇÃO | POLÍTICA