Pix Saque e Pix Troco estarão disponíveis a partir de novembro

A partir de 29 de novembro clientes poderão usar o Pix para sacar dinheiro e receber troco.

Em 02/09/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: © Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Nas duas modalidades, as transações serão limitadas a R$ 500 durante o dia e a R$ 100 entre as 20h e as 6h.

A partir de 29 de novembro, os clientes poderão usar o Pix, sistema de pagamento instantâneo desenvolvido pelo Banco Central (BC), para sacar dinheiro e receber troco em espécie em estabelecimentos comerciais e outros lugares de circulação pública. A data foi anunciada hoje (2) pelo órgão.

No Pix Saque, o cliente poderá fazer saques em qualquer ponto que ofertar o serviço, como comércios e caixas eletrônicos, tanto em terminais compartilhados como da própria instituição financeira. Nessa modalidade, o correntista apontará a câmera do celular para um código QR (versão avançada do código de barras), fará um Pix para o estabelecimento ou para a instituição financeira e retirará o dinheiro na boca do caixa.

O Pix Troco permite o saque durante o pagamento de uma compra. O cliente fará um Pix equivalente à soma da compra e do saque e receberá a diferença como troco em espécie. O extrato do cliente especificará a parcela destinada à compra e a quantia sacada como troco.

Nas duas modalidades, as transações serão limitadas a R$ 500 durante o dia e a R$ 100 entre as 20h e as 6h. No entanto, os ofertantes desses produtos poderão definir limites mais baixos, baseados no perfil do cliente, na localização, no horário da operação e nos critérios de segurança. Segundo o BC, a oferta dos dois novos serviços será opcional.

Não haverá cobrança para pessoas naturais (pessoas físicas e microempreendedores individuais) para até oito transações mensais. O comércio que oferecer as duas opções receberá, da instituição financeira do usuário sacador, de R$ 0,25 a R$ 0,95 por transação, dependendo da negociação com os bancos e as demais instituições.

Benefícios

O Pix Saque e o Pix Troco foram aprovados no último dia 24 pela Diretoria Colegiada do Banco Central. Em nota, o BC informou que os novos serviços “têm potencial para trazer benefícios para toda a sociedade”. Tanto para cidadãos, como para comerciantes, pequenos empresários e para o próprio sistema financeiro.

“A oferta do serviço diminuirá os custos dos estabelecimentos com gestão de numerário, como aqueles relacionados à segurança e aos depósitos, além de possibilitar que os estabelecimentos ganhem mais visibilidade para seus produtos e serviços, num efeito vitrine”, informou o Banco Central.

“Para o Sistema Financeiro Nacional (SFN), as melhorias representam um incentivo constante à digitalização e à redução de custos nas operações, e ainda estimula a competição, ao facilitar a oferta de serviço de saque por fintechs e instituições digitais, nivelando condições concorrenciais”, acrescentou a autoridade monetária. (Por Wellton Máximo/Agência Brasil)

Leia também:

Indústria recua 1,3% em julho; abaixo do período pré-pandemia
> Ministério estuda prorrogar por 1 ano benefício a exportadores
Balança comercial tem melhor saldo da história em agosto
PIB da agropecuária e indústria recuam e do serviço avança
Semana Brasil mobiliza o comércio varejista com promoções
Governo cria taxa de escassez hídrica e conta subirá 6%
Demissões: Patronato pressiona por desoneração da folha
Orçamento de 2022 prevê que salário mínimo vai ser R$ 1.169
Contas públicas registram déficit de R$ 10,2 bilhões em julho
Taxa de desemprego recua, mas 14,4 milhões buscam trabalho
Confiança Empresarial sobe 0,5 ponto em agosto ante julho
Preços do aço avançam na China com redução de estoques
Portocel está pronto para iniciar movimentação de ferro gusa
Minério de ferro avança com demanda por aço na China

TAGS: 
AGROPECUÁRIA | INDÚSTRIA | SERVIÇOS | SEMANA BRASIL | PROMOÇÕES | COMÉRCIO | VAREJO | ENERGIA | DESEMPEGO | ECONOMIA