Projeto em Vitória envolve estudantes na história da capital

No projeto "Vitória, minha ilha" estudantes puderam conhecer as mudanças ao longo do tempo

Em 09/09/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Divulgação Seme/PMV

A professora explicou que mais atividades do projeto “Vitória, minha ilha” serão desenvolvidas ao longo do mês, como: conhecer o trajeto de casa até a escola, entrevista com a diretora da Emef e muito mais.

Um resgate histórico por meio de pesquisa e fotografias, conhecendo as transformações que o município de Vitória passou ao longo de seus 470 anos. Esse é o objetivo do projeto “Vitória, minha ilha”, que aguçou a curiosidade dos estudantes do 1º ano do turno vespertino da Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Castelo Branco, na Ilha do Príncipe.⁣⁣⁣
⁣⁣⁣
Os trabalhos são coordenados pela professora Andrea Lyrio. Durante as aulas, os estudantes puderam conhecer as mudanças que foram moldando a cidade ao longo do tempo, os pontos turísticos da capital, as manifestações culturais e também locais menos conhecidos, mas que são cheios de riqueza cultural. Além disso, aprenderam a importância de pontes, viadutos e centros comerciais para o desenvolvimento do município.


Projeto Vitória, minha ilha na Escola Municipal de Ensino Fundamental (Emef) Castelo Branco, na Ilha do Príncipe. Foto: Divulgação Seme/PMV

Empolgados com toda a história que conheceram, os estudantes levaram para a sala de aula fotos em pontos turísticos que conheceram com a família, para comparar com as fotos antigas impressas pela professora e analisar as mudanças que ocorreram.

“Os estudantes estão empolgados, pois nunca tinham visto fotos em preto e branco e nem sabiam da existência de tantas mudanças tão próximas a eles. É importante resgatar a história dos locais em que vivemos e estudamos. Eles já foram falando que precisamos fazer um piquenique e passear pela cidade para conhecer os lugares que eles não conhecem,” destacou Andrea.

Exploração

Outra atividade desenvolvida foi pesquisar e explorar a história do bairro Ilha do Príncipe e também de todo o entorno da escola. Para conectar ainda mais os estudantes com a história da unidade de ensino, a professora imprimiu a planta baixa do prédio escolar, para que eles pudessem investigar e desenvolver noções de distância e análise de mapas.

A professora explicou que mais atividades do projeto “Vitória, minha ilha” serão desenvolvidas ao longo do mês, como: conhecer o trajeto de casa até a escola, entrevista com a diretora da Emef e muito mais!

“O trabalho coletivo permeia o protagonismo estudantil, a busca de novas ideias para melhoria da escola e proporciona transformações com propostas vindas dos próprios alunos”, pontuou Andrea. (Secom/PMV)

Leia também:

> Educação Especial receberá investimento de quase R$9,5 milhões
Escola de Linhares utiliza jogos para estimular estudantes
Mestrado em Matemática abre mil vagas a partir de hoje (08)
Educação: O Brasil está longe de zerar o analfabetismo
Serra comemora alfabetização com projeto Busca Ativa
Termina hoje (04) prazo para pedir reaplicação do Encceja
Alunos conquistam 23 medalhas em olimpíadas científicas
Jornada Científica e Cultural FAESA terá 150 atividades online
Estudantes da Rede Municipal de Vitória produzem podcast
Serra vai distribuir 110 mil cadernos pedagógicos a estudantes
Faceli abre inscrições para I Simpósio de Direito do Trabalho

TAGS:
HISTÓRIA | FOTOGRAFIAS | PROJETO | PROFESSORA | ESTUDANTES | VITÓRIA | AULAS