Vitória amplia serviço de acolhimento para pessoas de rua

O prefeito Lorenzo Pazolini e secretária de Assistência Social, Cintya Schulz, visitaram o local.

Em 21/06/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Elizabeth Nader/PMV

"Por meio desse trabalho, muitos poderão voltar ao mercado de trabalho e retomar suas vidas, abandonando as ruas como espaço de sobrevivência e moradia" disse o prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini.

Vitória contará com um espaço que servirá como porta de entrada para a reinserção social das pessoas em situação de rua. O serviço de acolhimento emergencial terá capacidade de atender grupos de até 40 adultos e famílias, funcionará por 180 dias e será o primeiro com essas características na Grande Vitória em 2021.

Ele atende à portaria 069, de 14 de maio de 2020, do Ministério da Cidadania (Governo Federal), que determina garantia de proteção social à população em situação de rua, inclusive imigrantes, no contexto da pandemia do novo coronavírus, como forma de evitar a disseminação da doença.

Funcionamento

O local começa a funcionar na primeira quinzena de julho, em Itararé, sob a coordenação da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas), com oferta de roupas de cama e banho e outros itens necessários à estadia, além de objetos de uso pessoal e produtos para higiene pessoal. Para alimentação, serão fornecidos utensílios e talheres descartáveis.

"Por meio desse trabalho, muitos poderão voltar ao mercado de trabalho e retomar suas vidas, abandonando as ruas como espaço de sobrevivência e moradia. Mais um passo importante que estamos dando, sempre cuidando de quem mais precisa", afirmou o prefeito de Vitória, Lorenzo Pazolini, durante visita ao local, nesta segunda-feira (21).

"O serviço de acolhimento emergencial é uma importante entrega para a cidade. Quarenta pessoas em situação de rua terão abrigo, higienização e alimentação, serão acolhidas por nossas equipes com atendimento psicossocial", destacou a titular da Semas, Cintya Schulz.

Equipe

A gestão do serviço de acolhimento será feita por profissionais capacitados e equipe técnica de referência - coordenador, dois assistentes sociais e dois psicólogos -, que farão atendimentos e encaminhamentos necessários. Haverá, também, a atuação de educadores sociais.

Como funcionará

O espaço conta com ambiente para repouso, camas, guarda de pertences, lavagem e secagem de roupas, banho e outras formas de higiene pessoal e vestuário. As pessoas receberão quatro refeições diárias: café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar.


O centro de acolhimento emergencial começará a funcionar na primeira quinzena de julho, no Bairro Itararé, Vitória, com capacidade de atender grupos de até 40 adultos e famílias. Foto: Elizabeth Nader/PMV

O controle de entrada e saída dos acolhidos será definido pela Gerência de Alta Complexidade, a fim de garantir a organização e a segurança no espaço.

Haverá articulação com a rede municipal de saúde para os casos que demandem atendimentos, garantindo a segurança no contexto atual de pandemia do coranavírus.

O espaço seguirá as normas sanitárias, adotando medidas de proteção contra a covid-19, dispondo de profissionais e materiais de limpeza para assegurar a higienização adequada e sistemática dos espaços, principalmente daqueles compartilhados, como banheiros.

Leia também: 

Centro de Referência acompanha idosos em asilos de Vitória
 > Refugiados vêem futuro através de educação, saúde e esporte
Prefeito Pazolini entrega mais uma casa a moradora do Bonfim
Já são 82,4 milhões número de pessoas forçadas a se deslocar

TAGS:
 ACOLHIMENTO | SOCIAL | CIDADANIA | EDUCAÇÃO | SAÚDE | EMPREGOS | ESPORTES | CIDADE | ECONOMIA