Setor de serviços no Brasil inicia 2021 com crescimento forte

A produção do setor de serviços em janeiro caiu 4,7% em relação ao ano anterior, diz IBGE.

Em 10/03/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: EBC

Setor de serviços cresceu 0,6% no mês com ajuste sazonal, informou o IBGE, três vezes mais do que a estimativa mediana em pesquisa da Reuters.

A atividade de serviços no Brasil iniciou o ano com uma surpreendente alta em janeiro, segundo dados oficiais divulgados na terça-feira, em contraposição à crescente série de indicadores que sugerem que a maior economia da América Latina está perdendo fôlego.

O setor de serviços cresceu 0,6% no mês com ajuste sazonal, informou o IBGE, três vezes mais do que a estimativa mediana de expansão de 0,2% em pesquisa da Reuters com economistas.

A queda de 0,2% em dezembro foi revisada para inalterada, informou o IBGE, o que significa que o setor não contraiu mensalmente desde maio do ano passado.

A produção do setor de serviços em janeiro caiu 4,7% em relação ao ano anterior, disse o IBGE, menos do que a queda de 5,1% prevista na pesquisa da Reuters, embora tenha marcado a décima queda ano a ano consecutiva.

A contração acumulada de 8,3% nos 12 meses até janeiro foi a maior queda desde o início da série em 2012, e o setor ainda é 3,0% menor do que antes do início da pandemia e medidas de distanciamento social há pouco menos de um ano. Disse IBGE.

Dois dos cinco subsetores pesquisados ​​cresceram em janeiro, disse o IBGE. Foram eles transportes e serviços relacionados, que cresceu 3,1%, e profissionais, administração e outros serviços, que subiram 3,4%.

Os serviços respondem por cerca de dois terços de toda a atividade da economia brasileira. Dados do IBGE mostram que o setor ainda não recuperou o terreno perdido desde o início da pandemia em fevereiro passado e é 13,8% menor do que o pico de 2014. (Reuters)

TÓPICOS:

ECONOMIA   |  POLÍTICA INTERNACIONAL   |   SAÚDE   |   EMPREGOS & ESTÁGIO   | CIDADE