Ufes anuncia implantação do Polo de Fruticultura do Caparaó

O recurso, que veio do Ministério da Agricultura, por pleito da senadora Rose de Freitas.

Em 04/05/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Divulgação

O projeto atende 11 municípios da região: Divino de São Lourenço, Alegre, Guaçuí, Ibitirama, Iúna, Jerônimo Monteiro, Dores do Rio Preto, Ibatiba, Irupi, Muniz Freire e São José do Calçado.

A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) anunciou a implantação do Polo de Fruticultura na região do Caparaó. O projeto conta com investimento de R$ 4 milhões, dos quais R$ 730 mil já foram liberados. O recurso, que veio do Ministério da Agricultura, é resultado do trabalho da senadora Rose de Freitas (MDB-ES) em Brasília, após diversas reuniões e dedicação para ajudar os agricultores e as famílias capixabas.

Além de originar renda para o pequeno produtor agrícola, o Polo de Fruticultura vai contribuir na geração de empregos, tanto no campo, pelas atividades de plantio e colheita, quanto nas cidades, pela comercialização e industrialização dos produtos que passarão a ser cultivados. 

Serão beneficiados agricultores familiares de 11 municípios do Caparaó: Divino de São Lourenço, Alegre, Guaçuí, Ibitirama, Iúna, Jerônimo Monteiro, Dores do Rio Preto, Ibatiba, Irupi, Muniz Freire e São José do Calçado. A maioria da população da região vive em área rural e tem na agricultura familiar o principal meio para fomentar a economia local.

Segundo o professor de fruticultura da Ufes, Moises Zucoloto, os R$ 730 mil iniciais de investimento serão utilizados, principalmente, para capacitação dos profissionais, fornecimento de combustível aos membros envolvidos no projeto e melhoria da infraestrutura da Ufes - com reforma e ampliação de salas, refrigeração de auditório, construção de "um pequeno viveiro" e construção de um estacionamento.  

“O projeto é um sonho. Tivemos de batalhar muito no Ministério para fazer o recurso chegar mesmo. É uma iniciativa absolutamente necessária para o Caparaó: estamos falando de emprego, renda e investimento”, disse a senadora Rose, saudando o atual reitor da Ufes, Paulo Sérgio Vargas, e relembrando a parceria com o ex-reitor Reinaldo Centoducatte, bem como apoio do ex-superintendente federal de Agricultura no Estado Dimmy Barbosa.

O Polo de Fruticultura do Caparaó se desenvolverá em quatro etapas. Na primeira, acontece o diagnóstico da aptidão agrícola da região para a fruticultura. Em seguida, a melhoria da infraestrutura para a capacitação dos envolvidos. A terceira etapa será de instalação das unidades demonstrativas de frutíferas nos 11 municípios envolvidos. E, por fim, a realização de minicursos e dias de campo para capacitação dos envolvidos em toda região abrangida pelo projeto.

"O projeto, mesmo em meio a uma acelerada tragédia humanitária, vem para impulsionar o desenvolvimento econômico, desenvolvimento científico e tecnológico, e promover impactos positivos na vida das pessoas”, disse o reitor Paulo Sérgio Vargas.. (Por Felipe Izar) 

TAGS
CIDADANIA | EDUCAÇÃO | SAÚDE  | EMPREGO  | ESPORTES | CIDADE | ECONOMIA