Casagrande apresenta ações do ES na área ambiental na COP-26

Governador do Espírito Santo apresentou as ações do Estado na área ambiental, em Glasgow.

Em 01/11/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Giovani Pagotto/Governo-ES e Adriano Zucolotto/Governo-ES

Ao lado do governador de São Paulo, João Dória, o governador Renato Casagrande apresentou as ações ambientais do Espírito Santo às entidades não governamentais presentes no Brazil Climate Action Hub.

No primeiro dia de agenda na 26° Conferência das Nações Unidas para a Mudança Climática (COP-26), em Glasgow, na Escócia, o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, apresentou as ações do Governo do Estado na área ambiental. O capixaba também abordou o modelo de governança do Consórcio Brasil Verde, que conta com 22 governadores e será oficializado este mês. Casagrande já foi eleito, por unanimidade, para presidir a entidade.

Ao lado do governador de São Paulo, João Dória, o capixaba apresentou as ações ambientais do Estado às entidades não governamentais presentes no Brazil Climate Action Hub. Participaram representantes de instituições, como o SOS Mata Atlântica, Centro Brasil no Clima, Instituto Clima e Sociedade, Fridays For Future e Clima e Sociedade. Em outra agenda, Casagrande foi um dos convidados do evento #Time4MultilevelAction Dialogues, que contou com entes subnacionais (governadores e prefeitos) de vários locais do mundo.


Foto: Giovani Pagotto/Governo-ES e Adriano Zucolotto/Governo-ES

O governador do Espírito Santo destacou a importância do Consórcio Brasil Verde para a concretização das metas de redução da emissão de carbono do País.

“Organizamos esse consórcio, que tem o governador João Dória como coordenador do Bioma Mata Atlântica e eu como presidente, primeiro para fazermos o dever de casa. Nós temos que cobrar atuação do Governo Federal, mas os governadores têm suas responsabilidades, tanto com relação à fiscalização do desmatamento, como também para o incentivo ao reflorestamento, desenvolvimento de energias renováveis e o financiamento de projetos de descarbonização”, pontuou.

Renato Casagrande reforçou que há a necessidade de realização desse trabalho para dentro dos governos, com a adoção de programas estaduais de combate às mudanças climáticas.

“Nós que assinamos o Race To Zero (Corrida para o Zero) temos um cronograma a seguir. A primeira tarefa é interna, dentro dos governos, pois se quisermos trabalhar para fora, temos que ter credibilidade”, reforçou o capixaba, salientando que os estados podem e devem contribuir para o alcance das metas pelo País.

Ainda de acordo com o governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, o segundo ponto é ajudar o Brasil a alcançar suas metas.

“O segundo ponto é ajudar o Brasil a alcançar suas metas. O Brasil hoje ficou pelo meio do caminho. Assumiu metas, o que já é ótimo, mas não as alcançou desde que assumiu na Conferência de Paris. Para alcançarmos as metas de Paris, precisamos reduzir as emissões em 57% até 2030. Precisamos ter mais audácia e para isso tínhamos que diminuir mais de 60% de emissões. Só de zerar o desmatamento, a gente ultrapassa a meta. E o Consórcio Brasil Verde tem o papel de ser mais uma voz nesse debate”, disse.

Nos dois eventos, Casagrande apresentou as ações realizadas no Espírito Santo, como o Programa Estadual de Mudanças Climáticas.

“Agora estamos construindo o Plano Estadual em debate com a sociedade capixaba. Temos programas importantes de reflorestamento, o Reflorestar, que acompanha 285 mil hectares de regeneração de floresta. Temos ainda outros programas de energia limpa, saneamento, energia renovável, além de obras de adaptação e o Centro de Serviço de Monitoramento de Desastres Naturais”, citou.

O presidente do Centro Brasil no Clima, Guilherme Syrkis, articulador do primeiro evento do dia e do movimento Governadores pelo Clima, que deu origem ao Consórcio Brasil Verde, falou sobre a importância desse debate.

“Meu pai, Alfredo, quem puxou o Governadores pelo Clima e infelizmente nós o perdemos em um trágico acidente. Agora tenho uma missão grande, que é poder trazer essa mensagem firme de que os governadores estão comprometidos com a agenda climática e que retomam a liderança do País. O mercado de carbono vai gerar milhões para o Brasil e é fundamental regulamentar essa questão”, declarou.

Já o segundo evento do dia teve o objetivo de servir como um diálogo entre entes subnacionais - governos estaduais e municipais - de todo o mundo para formar um consenso sobre ações para influenciar as tomadas de decisão dos respectivos governos nacionais. O evento foi organizado pelo Comitê Internacional para Iniciativas Ambientais Locais (ICLEI).

Também participaram do encontro #Time4MultilevelAction Dialogues, o presidente da ICLEI, Frank Cownie, que é prefeito da cidade Des Moines (Estados Unidos); o secretário-geral do comitê, Gino Van Begin; o vice-governador da Província de Jeolla do Sul (Coreia do Sul); Mun Keun-Ju; o prefeito de Tegucigalpa (Honduras), Nasry Tito Asfura; a prefeita do Condado de Miami Dade (Estados Unidos), Daniella Levin Cava; a vice-prefeita de Budapeste (Hungria), Kata Tüttő, que é relatora sobre Gênero e Clima no Comité das Regiões Europeu (CR); o diretor do Escritório de Cooperação Internacional e Infraestrutura Sustentável, Global Agência Ambiental do Ministério do Meio Ambiente do Japão; Ryuzo Sugimoto; o presidente da Associação de Governos Locais de Ruanda, Innocent Uwimana, e a presidente da Globe International, Malini Mehra. (As informações são do Governo/ES)

Leia também:

G20: EUA e UE fecham acordo sobre tarifas de aço e alumínio
Após negociações, G20 se aproxima de acordo sobre clima
Bolsonaro tem agenda esvaziada e ironizado pela imprensa
Rainha Elizabeth 2ª cancela sua participação na COP26
Biden edita decreto suspendendo restrições de viagens aos USA
China anuncia restrições após aumento de casos de covid
Joe Biden e Macron falam de uma defesa europeia mais forte
Os EUA têm compromisso de defender Taiwan, diz Joe Biden
Presidente da Itália se reúne com Merkel e volta a defender UE
EUA: Sistema tributário precisa funcionar para a classe média

TAGS:
REUNIÕES | RENATO CASAGRANDE | GOVERNADOR | COP26 | G20 | CHANGE | CONFERENCE