Petrobras reduz preços de gasolina e diesel antes de reoneração

Os ajustes ocorrem enquanto o governo se prepara para voltar a cobrar PIS/Cofins.

Em 28/02/2023 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: REUTERS/Sergio Moraes

Os ajustes ocorrem enquanto o governo se prepara para voltar a cobrar PIS/Cofins em meio a temores de elevação da inflação.

A Petrobras reduziu o preço médio da gasolina vendida às refinarias em 3,93% e o do diesel em 1,95%, informou a petroleira nesta terça-feira (28), enquanto o governo se prepara para detalhar mais tarde a volta da tributação federal sobre a gasolina a partir de quarta-feira.

A gasolina da companhia vendida às distribuidoras irá de R$ 3,31 para R$ 3,18 por litro, uma redução de R$ 0,13 por litro, segundo a empresa. Já o diesel passará de R$ 4,10 para R$ 4,02 por litro, uma redução de R$ 0,08 por litro.

Os preços de ambos os combustíveis da Petrobras estavam com prêmio na comparação com os valores externos, de acordo com dados de especialistas publicados na véspera pela Reuters. Isso em tese permitiria uma redução, neste momento, das cotações para as distribuidoras, considerando uma política de se perseguir a paridade em relação ao mercado internacional.

Os ajustes ocorrem enquanto o governo se prepara para voltar a cobrar PIS/Cofins na comercialização de gasolina e etanol na quarta-feira (1), em meio a temores de elevação da inflação.

O governo deverá manter, no entanto, a isenção de diesel e outros derivados até o fim deste ano.

Em nota, a petroleira frisou que sua política de preços de derivados busca evitar o repasse da volatilidade conjuntural das cotações e da taxa de câmbio, ao passo que preserva um ambiente competitivo salutar nos termos da legislação vigente.

“Essas reduções têm como principal balizador a busca pelo equilíbrio dos preços da Petrobras aos mercados nacional e internacional, através de uma convergência gradual, contemplando as principais alternativas de suprimento dos nossos clientes e a participação de mercado necessária para a otimização dos ativos”, disse a companhia na nota.

O repasse de ajustes nas refinarias aos consumidores finais nos postos não é imediato e depende de uma série de questões, como impostos, margens de distribuição e revenda, e mistura de biocombustíveis. (Por Reuters, via Forbes Money)

Leia também:

70,1 milhões de brasileiros tem dívidas atrasadas no Serasa
Emprego sem carteira assinada atingiu volume recorde em 2022
Empresas têm até hoje para enviar comprovantes de rendimentos
Consulta a valores esquecidos é reaberta a partir desta terça
Mercado financeiro prevê crescimento da economia em 0,84%
Haddad mostra preocupação com juros altos e crise climática
Balança comercial tem déficit de US$ 280,6 milhões em fevereiro
Desenvolvimento Econômico traça planejamento para 2023
Em 02 meses, 117 empresas foram incluídas no Compete-ES
Sefaz e prefeitos discutem acordo entre ANP e a Petrobras

TAGS:
PETROBRAS | PREÇOS | GASOLINA | DIESEL | REONERAÇÃO