Tablets com internet são estregues a estudantes de Vitória

Prefeitura entrega tablets com internet para estudantes de Jardim da Penha e Santa Lucia.

Em 21/06/2022 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: Elizabeth Nader/PMV

Estudantes das Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emef) Éber Louzada Zippinotti, em Jardim da Penha, e Maria Leonor Pereira da Silva, em Santa Lucia, receberam nesta segunda-feira (20) os tablets com internet.

A caixa chega a mãos curiosas, que viram de um lado e de outro. Os olhos buscam os detalhes, os grupos de amigos se juntam ao redor, diferente de tudo o que já viveram na escola.

Estudantes das Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emef) Éber Louzada Zippinotti, em Jardim da Penha, e Maria Leonor Pereira da Silva, em Santa Lucia, receberam nesta segunda-feira (20) os tablets com internet, entregues pela Prefeitura Municipal de Vitória, por meio da Secretaria de Educação, com a presença do prefeito Lorenzo Pazolini, da secretária Juliana Rohsner e outras autoridades.

"Vai ser importante para os nossos estudos, é uma coisa diferenciada de todos os anos que a gente teve. Eu gosto da tecnologia, já uso para estudar, mas com o tablet será melhor", afirmou a estudante da Emef Éber Louzada, Luisa Gonçalves.

A expectativa do estudante Estevão Ribeiro, da mesma escola, é "usar muito os tablets para desenvolver atividades, com novas dinâmicas com os professores".

Na Emef Maria Leonor, a ansiedade para usar dos tablets também é alta.

"Acho que vai ser muito bom pra gente, ter o tablet, poder ver o que estamos estudando de outra forma, usar recursos de vídeo, vai ser bem legal", pontuou o estudante Joel Nilson Ferreira dos Santos Carbone.

Ele recebeu o equipamento junto a mais dois irmãos, José Rainer e Jonas Nicolas, que estudam na mesma escola.

Investimento na educação

Ao todo, são 15.249 estudantes do 5º ao 9º ano do Ensino Fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA) que poderão levar os tablets para casa, ampliando o uso da tecnologia nos processos educativos das escolas municipais. Os 11.864 estudantes do 1º ao 4º ano do Fundamental, além das crianças da Educação Infantil, terão acesso aos equipamentos em atividades nas unidades de ensino. O investimento na compra dos tablets com internet é de R$ 25.598.700.

"Iniciamos a semana com mais entrega. Estamos dando um salto de qualidade, implantando igualdade na rede de ensino de Vitória. Nem todos os estudantes podem ter um equipamento como esse e estamos possibilitando acesso à internet, acesso à tecnologia, acesso ao conhecimento. O tablet chega para ser um instrumento de transformação social. É um compromisso com a educação de vocês, com o futuro. Usem esse tablet como algo que vai abrir janelas e portas, para que vocês possam se desenvolver e estar onde vocês queiram estar", disse o prefeito aos estudantes.

A compra dos 29 mil tablets com internet para os estudantes integra o Plano Vitória, com investimentos de R$ 1 bilhão, até 2024, lançado em setembro do ano passado pelo prefeito Lorenzo Pazolini. O Plano Vitória é fruto do ajuste fiscal e financeiro realizado pela atual gestão e prevê ações em educação, saúde, infraestrutura, mobilidade, urbanização, habitação, equipamentos esportivos e culturais e tecnologia.

"Essa entrega é muito significativa para nós. Esse tablet é um sonho desde que assumimos a prefeitura, em 2021. A tecnologia já é muito natural para os nossos estudantes, mas a escola estava muito distante desse mundo. Quando chegamos, encontramos uma rede potente, mas com essa defasagem tecnológica. Naquele momento, já começamos um investimento de impacto para as unidades de ensino e para os estudantes, são R$ 70 milhões em equipamentos. A tecnologia permite organizar as aulas de outra forma, compreender os cenários de aprendizagem, estar mais conectado com uma educação inovadora", destacou a secretária Juliana.

Éber Louzada Zippinotti

Além dos estudantes de Vitória, as famílias também aprovam e estão com uma boa expectativa para o uso dos tablets em atividades educativas.

"Acho muito importante essa ação, vai melhorar a qualidade de ensino pra eles, é a tecnologia entrando na escola", avaliou Cristiane Oliveira, mãe da estudante Luisa Gonçalves.

"É muito positiva essa entrega, é a igualdade para todos os estudantes terem um ensino de qualidade", afirmou Alexsander Otaviano Ribeiro, pai do estudante Estevão Ribeiro.

A diretora da Emef Éber Louzada Zippinotti, Evania de Angeli considera a inovação necessária para a rede.

"É uma honra estar à frente dessa escola em um momento de tantos desafios e de tantas inovações. A chegada do tablet é um marco, é uma ferramenta poderosa. Eu agradeço ao prefeito e à secretaria e parabenizo a iniciativa".

Maria Leonor Pereira da Silva

Mãe dos três irmãos que receberam o tablet hoje, Josivalda Ferreira dos Santos Carbone estava tão empolgada com a novidade quanto os meninos.

"Recebo com muita alegria os tablets, acho muito importante, é algo novo acontecendo para os estudantes. A tecnologia está aí e precisava chegar às escolas de Vitória. Tudo o que pudermos fazer para eles terem um melhor aproveitamento é válido. Gostei muito dessa iniciativa de ter a internet limitada e monitoramento, é uma tranquilidade pra nós, pais", afirmou.

À frente da unidade de ensino, o diretor Welington Klein ressaltou a necessidade de ter a tecnologia dentro do processo de ensino e aprendizagem.

"A tecnologia possibilita os estudantes aprenderem muito mais. Desejo que eles possam aproveitar com muita responsabilidade esse equipamento que a Prefeitura está oferecendo".

Escolas piloto

A entrega dos tablets está sendo feita para um período de testes e observação em cinco escolas de ensino fundamental: Emef Maria José Costa Moraes, em São José; Emef Adão Benezath, em Antônio Honório; Emef Ceciliano Abel de Almeida, em Itararé; Emef Éber Louzada Zippinotti, em Jardim da Penha; e Emef Maria Leonor Pereira da Silva, em Santa Lucia. Nessa primeira entrega, são 1.920 equipamentos distribuídos.

Uso pedagógico

Os tablets possuem filtro de conteúdo, gerenciado remotamente via sistema com controle dos sites e aplicativos permitidos, conforme definição da Secretaria de Educação. A plataforma remota permite a instalação e remoção dos aplicativos, a liberação de acesso a sites, o bloqueio e rastreamento do equipamento em caso de furto ou perda, geração de relatório de uso, entre outras ações.

Os equipamentos chegam às mãos dos estudantes já com pacotes de dados de internet móvel, por meio de chips, para que possam acessar os conteúdos educacionais trabalhados em sala de aula, utilizar a plataforma AprendeVix (Google Sala de Aula), assistir às aulas virtuais, realizar as atividades propostas e muito mais.

O investimento integra uma política pública voltada para a socialização da cultura digital prevista nas Diretrizes Curriculares do Ensino Fundamental e da Educação de Jovens e Adultos de Vitória.

A aposta nos usos de um dispositivo móvel (tablet) com pacote de dados para estudantes da rede de ensino de Vitória busca atender à necessidade de maior equidade no acesso à informação para a continuidade das ações de garantia de aprendizagens significativas e que produzam sentidos para a vida.

É cada vez mais rotineiro o uso de dispositivos móveis na sociedade proporcionando acesso a uma quantidade de informação ilimitada. A Secretaria de Educação acredita que o uso dos tablets, com intencionalidade pedagógica, potencializará as práticas docentes, promovendo maior engajamento e participação ativa dos estudantes.

Investimento em tecnologia

Além dos tablets com pacote de dados de internet, a Secretaria de Educação de Vitória está fazendo outro grande investimento em tecnologias, possibilitando melhores condições de trabalho aos profissionais e mais recursos para aprendizagem dos estudantes e das crianças.

Ao todo, são R$ 70 milhões investidos na compra de equipamentos para usos pedagógicos, sendo:

  • 5 mil notebooks para uso dos profissionais nas unidades de ensino;
  • 3 mil novos computadores para as unidades de ensino e Secretaria de Educação;
  • aquisição do Programa TiX Letramento para atendimento aos estudantes da Educação Especial;
  • 490 kits de robótica que contribuirão para o desenvolvimento de um pensamento lógico e crítico dos estudantes e das crianças, a quem serão apresentadas situações problema e estimuladas a solucioná-las.

Esses investimentos realizados pela Seme buscam garantir a continuidade das ações que promovem o acesso à aprendizagem de maneira equânime, pois no contexto da pandemia, com o isolamento social, foi possível evidenciar um grande desafio: a desigualdade entre estudantes nos territórios do município de Vitória. Estudantes que vivem em situação de vulnerabilidade social foram mais afetados pela crise sanitária e econômica, de acordo com marcadores sociais, raciais e de gênero, que constataram a situação sem acessibilidade em que vivem.

Boas práticas para o uso do tablet

  1. Mantenha o equipamento seco e protegido contra chuva e outros líquidos.
  2. Mantenha o tablet sempre limpo. Use flanela úmida com água.
  3. Não desmonte e nem conserte o equipamento por iniciativa própria.
  4. Cuide da bateria do tablet. Recarregue por volta dos 30%; ao recarregá-la, retire o plug da tomada.
  5. Use a fonte de alimentação original para carregar o tablet, protegendo-o ao conectá-lo.
  6. Desligue o equipamento ao finalizar o uso, de forma a conservar a duração da bateria.
  7. Não manuseie produtos químicos, vidros e equipamento sobre o tablet.
  8. Não apoie sobre o tablet nem coloque perto dele algo que possa exercer pressão sobre a tela.

Perguntas e respostas sobre os tablets

Os tablets pertencerão aos estudantes após a entrega?

Não. O tablet é de propriedade da unidade de ensino, incorporado ao bem patrimonial, e será entregue aos estudantes mediante assinatura de um Termo de Comodato pelo responsável (mãe, pai ou responsável legal).

O estudante, quando convocado, deverá apresentar o tablet na unidade de ensino para ser realizado procedimento de controle patrimonial.

Como é feita a entrega aos estudantes?

Cada unidade de ensino fará sua organização, após realizar reunião com a comunidade escolar informando sobre o recebimento e a distribuição dos tablets. A Seme indica que a entrega seja feita em local amplo e arejado, sem aglomeração de pessoas.

O que acontece em caso de roubo ou perda do tablet? E se o tablet quebrar?

Em caso de perda ou roubo, o responsável deverá contatar a escola imediatamente, apresentando o boletim de ocorrência, para que seja analisado caso a caso pela Secretaria Municipal de Educação.

Em caso de quebra ou utilização indevida do equipamento, após analisado o caso pela Seme, o responsável legal pelo estudante poderá ficar sujeito às sanções cabíveis, e responderá por perdas e danos ao patrimônio público se verificada a culpa ou dolo na utilização danosa do equipamento ou na sua perda.

As famílias podem recursar o tablet?

Sim. No caso de o responsável legal não aceitar o uso do tablet pelo estudante, deverá assinar um termo de recusa em que se compromete a garantir que o estudante acesse o ensino nas aulas regulares e projetos/atividades de contraturno por meios próprios.

Como proceder em caso de transferência do estudante?

A pessoa responsável pelo estudante transferido da rede municipal de ensino terá que fazer a devolução imediata do equipamento à unidade de ensino. (Secom/PMV)

Leia também:

Teatro: alunos de Vila Velha têm aula de Educação Ambiental
Escolas promovem um intercambio das disciplinas Eletivas
> ​Vila Velha amplia aulas de judô para mais escolas da rede
Serra: Alunos da EJA participam de atividades sobre Pipat
> Alunos de Guarapari conhecem aldeia indígena em Aracruz
Alunos constroem protótipos de foguetes com recicláveis
Sedu visita as Escolas Estaduais no noroeste do Estado
‘Tarde de Talentos’ é realizada em escola de Afonso Cláudio
Pesquisa revela as práticas indevidas na educação infantil
Escolas recebem um projeto sobre o manguezal de Vitória
Ministério da Educação retira mais R$ 220 milhões das federais

TAGS:
ALUNOS | VITÓRIA | ESCOLAS | TABLETS | INTERNET