11% dos trabalhadores fizeram home office ao longo de 2020

Brasileiros em home office entre maio e novembro de 2020 chegou a 8,2 milhões de pessoas.

Em 15/07/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: © Marcelo Camargo/Agência Brasil

A pesquisa do Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), tem com base dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

O grupo de brasileiros que trabalhou de forma remota entre os meses de maio e novembro de 2020 chegou a 8,2 milhões de pessoas, apenas 11% dos 74 milhões de profissionais que continuaram a trabalhar durante a pandemia de covid-19. Os dados foram divulgados hoje (15) pelo Instituto de Pesquisa Econômica e Aplicada (Ipea), que mostrou que mulheres (56%), brancos (65,6%) e profissionais de nível superior (74,6%) foram a maioria dos trabalhadores em home office.

A pesquisa do Ipea tem com base dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), referentes ao período de maio a novembro e coletados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD Covid-19).

O estudo do IBGE mostra que o perfil da população em trabalho remoto diverge da composição da população brasileira, que é formada por 51,1% de mulheres, 54,7% de pretos ou pardos e 13,1% de pessoas com nível superior.

Os 74 milhões de trabalhadores citados pelo Ipea são a parte dos 83 milhões de brasileiros que tinham uma ocupação nesse período e continuaram trabalhando. Entre os 9,2 milhões que se afastaram do trabalho, 6,5 milhões fizeram isso por causa do distanciamento social.

Em termos de faixa etária, a pesquisa mostra que os trabalhadores de 30 a 39 anos responderam por 31,8% daqueles que declararam estar em home office. Já na comparação do setor público com o setor privado, o último concentrou 63,9% do total de profissionais em trabalho remoto.

Quando a pesquisa se debruça sobre cada setor da economia, a educação privada foi a que atingiu o maior percentual de trabalhadores em teletrabalho: 51%. Esse percentual foi de 38,8%, no caso do setor financeiro privado, e de 34,7% na atividade de comunicação privada. Por outro lado, os menores percentuais estavam nas atividades de agricultura (0,6%), logística (1,8%) e alimentação (1,9%).

Entre os funcionários públicos, a esfera federal teve 40,7% dos trabalhadores em regime de home office, enquanto a estadual, 37,1%, e a municipal, 21,9%.

No setor público como um todo, 52,2% dos trabalhadores em home office eram profissionais de ensino. Os menores percentuais foram verificados entre policiais (0,5%) e profissionais de saúde (2,1%).

Por fim, a maior parte dos trabalhadores em home office em 2020 era da Região Sudeste (58,2%). O Nordeste (16,3%), o Sul (14,5%), o Centro-Oeste (7,7%) e o Norte (3,3%) completam a lista. (Por Vinícius Lisboa - Agência Brasil)

Leia também:

Retomada da economia mostra patamares pré-crise, diz Adolfo
Setor de serviços cresceu 1,2% em maio, diz pesquisa do IBGE
Confiança do empresário industrial subiu em julho, diz CNI
Projeção do PIB de 2021 passa para +5,26%, aponta Focus
Publicada MP que abre crédito a micro e pequenas empresas
Governo prorroga auxílio emergencial por mais três meses
Focus projeta Selic de 6,50% em 2021 e de 6,75% em 2022
Brasil criou 280,6 mil postos de trabalho formal em maio
IIE: Incerteza da economia brasileira voltou a subir em junho
Desemprego no Brasil mantém recorde de 14,7%, diz IBGE
Sebrae: pequenos negócios têm maior taxa de mortalidade
Mercado financeiro critica proposta que muda tributação
> Atividade e emprego em queda na indústria da construção
Confiança da construção cresce 5,2 pontos em junho, diz FGV
CNI e sindicatos reagem a corte de tarifas do Mercosul
Brasil registrou criação de 351.714 empresas no mês de março
Inflação persiste, mas economia evolui mais que o esperado
CNC aponta melhorias no mercado de trabalho e consumo
Com inflação, Copom eleva a taxa de juros Selic para 4,25%
Agronegócio puxa emprego em obras civis e no comércio
Dia dos Namorados deve movimentar R$ 1,8 bilhão em vendas
Conab prevê queda no preço do feijão com entrada da safra
Brasil precisa de uma reforma tributária ampla e urgente, diz CNI
OCDE mantém projeção de crescimento do PIB do Brasil
> Investimento em infraestrutura para vencer o desemprego
> Aneel: Conta de luz terá bandeira vermelha 2 no mês de junho
Brasil registra 14,8 milhões de desempregados, diz IBGE
Confiança da indústria no Brasil mostra recuperação em maio
Maior produtor de café, Brasil possui 12 indicações geográficas
Estoques da indústria voltam a ficar próximos do planejado
Brasileiros já pagaram R$ 1 trilhão em impostos este ano

TAGS:
EMPREGO | CAFÉ | PIB | ECONOMIA | PEQUENOS | PRODUÇÃO | INDUSTRIA | PRÉ-SAL | SELIC