Compromisso com a Ásia: Kamala Harris visita o Vietnã

Vice-presidente dos EUA, Kamala Harris, ao lado de sua colega do Vietnã, Vo Thi Anh Xuan.

Em 25/08/2021 Referência CCNEWS, Redação Multimídia

Foto: POOL/AFP

Harris se reunirá em Hanói com as autoridades do governo comunista, um dia depois de acusar a China de intimidação no disputado Mar da China Meridional.

A vice-presidente dos Estados Unidos, Kamala Harris, iniciou nesta quarta-feira (25) uma visita ao Vietnã que tem o objetivo de reafirmar o compromisso de seu governo com a Ásia, uma viagem que recebe algumas críticas em Washington porque muitos estabelecem paralelos entre as retiradas americanas de Saigon e Cabul.

Harris se reunirá em Hanói com as autoridades do governo comunista, um dia depois de acusar a China, a potência regional, de intimidação no disputado Mar da China Meridional.

A chegada da vice de Joe Biden foi adiada por um “incidente anômalo de saúde” em Hanói, segundo fontes do governo americano, em uma aparente referência à chamada “síndrome de Havana” que afeta diplomatas em vários países, incluindo China e Rússia.

Não está claro o que provoca a síndrome, que já motivou denúncias sem provas de que a Rússia ou outros países usam aparelhos eletrônicos de alta intensidade para provocar danos a diplomatas americanos.

A visita acontece após uma viagem de dois dias de Harris a Singapura, onde ela criticou duramente a China e tentou reforçar a credibilidade de seu governo após o retorno dos talibãs ao poder no Afeganistão.

A viagem gerou críticas depois que a caótica retirada de Cabul motivou comparações com o trauma de Saigon em 1975, quando helicópteros americanos retiraram as últimas pessoas do teto da embaixada nos últimos dias da Guerra do Vietnã.

Harris não visitará Saigon, atualmente chamada Cidade Ho Chi Minh, e tentará enfatizar o compromisso de Washington com o sudeste asiático ao inaugurar em Hanói um escritório regional do Centro de Controle de Doenças (CDC) dos Estados Unidos.

Washington doou ao Vietnã cinco milhões de doses de vacinas contra a covid-19. (AFP)

Leia também:

Líderes do G7 se reúnem na terça para discutir Afeganistão
Merkel faz sua última visita a Putin em plena crise afegã
EUA aplicam vacinas de reforço contra covid-19 em setembro
Afeganistão: Aprovação de Biden cai com domínio do Talibã
Nova Zelândia teme por alta de casos de covid-19 no país
Nova Zelândia anuncia restrições de três dias contra covid-19
Biden defende retirada de tropas dos EUA do Afeganistão
Com saída dos EUA, China e Rússia dialogam com Talibã
Biden receberá líderes mundiais em cúpula sobre democracia
G20 quer que acordo de taxa global seja finalizado até outubro
G7 das Finanças começa com imposto mundial no radar
Recorde: PMI industrial do Reino Unido sobe a 65,6 em maio
PMI industrial da China sobe a 52 em maio, maior nível de 2021
PIB global deverá crescer a 5,8% em 2021, estima a OCDE
Investimento em infraestrutura para vencer o desemprego

TAGS:
KAMALA HARRIS | VIETNÃ | G7 | ANGELA MERKEL | RÚSSIA | AFEGANISTÃO | ARMAS | JOE BIDEN | CLIMA | MEIO AMBIENTE